Alerta de Spoiler #66 - Star Wars: Os Últimos Jedi

Fechando mais um ano com Star Wars! E agora com aquele que pode se tornar o mais controverso longa da franquia. Os Últimos Jedi chegou repleto de elogios da crítica especializada, mas também dividindo a opinião dos fãs. Com direção de Rian Johnson, o Episódio VIII da saga espacial traz uma injeção de novidade e mudanças drásticas no que o público conhece. E isso é bom ou ruim?

Junte-se a Alexandre Luiz, Davi Garcia e Filipe Pereira para uma discussão sobre tudo que o novo filme de Star Wars tem de melhor, e de pior também. Aperte o play abaixo ou faça o download no link do final do post 😉 Ah, e comente! Queremos saber sua opinião!

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

5 comments

  1. Lukas 21 dezembro, 2017 at 19:24 Responder

    Eu sempre evito tomar decisões radicais em filmes, mas a cada filme novo que sai de Star Wars, mais eu acho que já deveria ter acabado.

    O problema desse filme não é ele inovar em algumas coisas que alguns não aceitam. O problema é ele NÃO inovar kkk

    -O começo do filme é uma reciclagem do Episódio V;

    -A cena da Rey/Kylo/Snoke é uma reciclagem do Episódio VI (a unica diferença é que o Vader joga o Palpatine num abismo e o Kylo ativa o sabre no Snoke. Assim que a cena começou e o Snoke começou a torturar a Rey era obvio o que o Kylo Ren ia fazer, pois ja vimos antes com o Vader. Inovador seria ele NÃO mata-lo rs);

    -O Snoke é o Palpatine sem tirar uma vírgula no personagem;

    -Kylo Ren é o Anakin Skywalker se ele não virasse Darth Vader sendo queimado (inclusive ele fala pra Padmé que eles podiam matar o Palpatine e governarem juntos).

    Em resumo: Tudo mais do mesmo. A única surpresa é o filme emular o Episodio VI quando todos esperavam que emularia o V.

    Acabou os Jedi/Sith? Eu DUVIDO (Alias qual a diferença do Kylo e de um Sith?kkk), mas espero que seja verdade, quem sabe assim eles finalmente largam o osso da trilogia classica…

    A projeção astral do Luke surpreende? Sim… mas não salva um filme inteiro.

    Abraços a todos e continuem o ótimo trabalho!!!

  2. Marcelo 22 dezembro, 2017 at 16:19 Responder

    Eu esperava um pouco mais do filme. Achei regular. Acho que a Disney não deveria dispensar a ajuda do George Lucas. Mesmo que alguns digam que ele já não estava dando certo, principalmente com a trilogia nova, mas como consultor, seria muito valioso. Não se pode desprezar um apoio como o dele, afinal ele criou esse universo. Estão desfigurando a franquia sem entender porque ela foi criada e as regras colocadas por ela. Tá com cara de X-MEN da FOX, perderam o rumo. A questão das naves rebeldes sem combustível, e a Primeira Ordem (com todo o aparato militar que possuía) não conseguir liquidá-los, foi muito mal desenvolvido. O Poe Dameron parece um personagem saído de um filme do diretor Wolfgang Peterse,n, onde os personagens lidam com conflitos terríveis, mas que parecem que agem de forma bem banal. Se tornando um personagem raso. Irritante muitas vezes. O C3PO e o R2D2 eram uma espécie de Salcicha e Scooby da série, mas foram completamente esquecidos. Luke Skywalker é o personagem mais importante da série, é o nosso "Flash Gordon", por isso esperava mais dele nesse filme. Gostaria de ver um pouco daquele Luke do início de o Retorno de Jedi. Botando pra quebrar, e foi muito pouco utilizado, na minha opinião. Rian Johnson se preocupou muito com as reviravoltas e esqueceu que num filme desse porte, é preciso que a película tenha Pontos Altos algo que o seu colega J.J. Abrams sabe fazer muito bem. Não explicaram até agora como surgiu realmente até agora. Mesmo que digam que os livros venham a explicar isso, deveriam pelo menos dialogar em alguma cena pelo menos. Esqueceram do Lando. Poxa, ele esteve com os Rebeldes até o fim de O Retorno de Jedi, e não incluí-lo em uma única cena????? Realmente não sei como essa cine série vai chegar sem George Lucas, e contando apenas com Kathleen Kennedy. Depois desse filme, não consigo entender a moral que ela e a Disney estão dando para o Rian Johnson. Ele é um diretor mediano, para um blockbuster desse porte. Eu sempre preferi Matthew Vaugh ou Matt Reeves, são acima da média. Do nível de J.J. Abrams. Vamos ver no que vai dar,

  3. sergioemdebortoli 23 dezembro, 2017 at 08:24 Responder

    o Alexandre me representou demais nesse programa, nem preciso dizer muito sobre o filme porque acho que o host já disse por mim.
    Gostei da menção a Kurosawa e gostaria mais ainda de um podcast sobre, se não dos principais filmes, pelo menos de um filme ou outro.

    Vlw e Feliz Natal

Deixe uma resposta