Minicast True Detective S02E02

Se sua cabeça também explodiu no final deste episódio, bem-vindo ao clube! Depois de uma estreia considerada morna por muita gente, a segunda temporada de True Detective apresenta um gancho angustiante! Venha já ouvir e comentar a série com Alexandre Luiz, Davi Garcia, Wilker Medeiros e Filipe Pereira!

Links do Podcast

Links Cine Alerta

Assine nosso feed:

Contato:

Mandem seus e-mails para [email protected], ou comente no post logo abaixo!

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

8 comments

  1. Guilherme 3 julho, 2015 at 06:38 Responder

    Bom episódio, melhor que o primeiro, como falado no minicast. Gostei bastante do inicio do episodio, que serviu para mostrar um pouco mais do personagem do Vince Vaughn, mas ele ainda não me convenceu. Estou gostando muito do trio protagonista com destaque para Colin Farrel que tem boas cenas, assim como no primeiro episódio e Rachel McAdams mostrando um pouco mais de uma personagem bastante interessante, que devo confessar que estou muito curioso sobre seu passado, com todos esses problemas com o pai, a irmã e aquele estranho diálogo com o terapeuta da vitima ( alias todo aquela clinica é muito estranha).
    Se os próximos episódios continuarem com esse ritmo e melhorarem, podemos ter uma boa temporada.

  2. Vinicius Barboza 3 julho, 2015 at 13:18 Responder

    Antes de mais nada fico feliz em sabe que teremos Minicast de ferias com True Detective. Vou ouvir e volto pra comentar

  3. eduardobrl 3 julho, 2015 at 14:42 Responder

    Excelente cast, já estou gostando muito da série, e alguém reparou nesse quadro: http://i.imgur.com/MQuLFx6.jpg , quando os personagens do Colin Farrell e da Rachel McAdams estavam conversando com o cara que parece vilão do Batman na clínica ? Parece muito com o assassino com mascara de pássaro no final do episódio.

    • Carolina 3 julho, 2015 at 17:15 Responder

      Eu achei a mesma coisa quando vi, que o atirador estava vestido muito parecido com o quadro do fundo. Se o médico já tem cara de vilão do Batman quem sabe já não temos um suspeito?

  4. Carolina 3 julho, 2015 at 17:39 Responder

    Que segundo episódio! Serviu pra mostrar um pouco mais tanto da trama quanto dos personagens. Vamos por partes:
    1 – O Paul eu ainda não tenho certeza se ele é gay enrustido ou se ele foi garoto de programa ou abusado por alguém. Acho que gay enrustido seria muito óbvio, por causa da cena da varanda, dele olhando os caras, mas pode ser ele vendo o passado dele também (caso ele tenha sido garoto de programa). Se o caso fosse o abuso sofrido no passado (me deu a impressão disso na briga com a namorada, onde ele fala que a culpa é dela, não dele. Normalmente vítimas de abuso são levadas a acreditar que a culpa de ter sido abusada é dela e não do abusador e carregam isso pro resto da vida), isso bateria com o pessimismo normal do Nic Pizzolatto. Temos que esperar pra ver. Qualquer uma das três coisas me parece interessante.
    2 – Já Ani me parece a única com vontade de realmente solucionar o crime. Gostei dela falando com o médico "com cara de vilão do Batman" sobre as crianças da seita do pai dela. Serviu pra gente poder notar que, no final das contas, ela é uma vitoriosa por ter escapado (mesmo que pouco, como a irmã disse que ela é viciada) do destino das outras crianças. E concordo com o que foi falado em relação à ela: o que ela critica na irmã é, na verdade, uma coisa que ela queria fazer, mas não tem coragem (95% das vezes fazemos isso com pessoas próximas, ou somos alvos dos outros por fazermos algo diferente).
    3 – Vince Vaugn (sim, usei o nome do ator) que, no início do episódio me surpreendeu positivamente com uma atuação sincera (apesar de continuar como cosplay de Rei do Crime) jogou tudo por água abaixo com aquela cena do velho e do spray. Sério aquilo?
    4 – Ray é, com certeza, o melhor personagem (mesmo com o bigode horrendo dele. Desculpas ao Filipe por dizer isso do bigode, vou me retratar: ficou horrendo no Colin Farrel. Depende da pessoa, sempre. Tom Selleck, por exemplo, só de bigode, sem ele deve ficar horrendo, assim como o Ratinho. Então, viu, varia de pessoa para pessoa). Extremamente humano, a ponto de se desesperar de pensar em perder o filho (que, detalhe, tá na cara que não é dele e sim fruto do estupro) e de ficar na dúvida se continua a ser um policial sujo ou tenta ser um bom moço. A cena final com ele tomando tiro foi fantástica, mas uma coisa: Se o tiro que ele tomou foi de verdade (e não de sal. E caso ele não estivesse de colete) e ele não morreu, o Jon Snow tá vivo! Se ele morreu, Pizzolatto deixou o computador ligado na HBO e George RR Martin viu o roteiro e resolveu dar uma mexida nele, com certeza. De qualquer maneira, veremos o que acontece semana que vem.
    Bjs e até.

  5. Carlos Eduardo 3 julho, 2015 at 23:25 Responder

    Primeira cena com o dialogo sobre a mancha no teto foi ótimo, depois uma serie de cenas aéreas focando ainda mas sobre os personagens (tivemos um aprofundamento sobre Antigone e o policial que realmente parece estar com dificuldades de sair do armário). Engraçado que o maior detetive do episódio foi o Frank e não a trupe nova que estava ate então pouco ligando para o caso ou trabalhar junto.
    Temos também referencias ali a primeira vista passa despercebida como mascaras e objetos sexuais em varias cenas e com as mascaras falando no cast sobre uma possível ligação com o culto que se descobre que era muito maior e com pessoas importantes quase inalcançáveis para os protagonistas da serie. E no final temos o baque onde a maioria estava entorpecida acordou na hora gritando WTF? Acredito no tiro de sal e que seja um aviso, mas que como estão todos rumo a um poço sem fundo e provável que vamos ver 2 dos detetives na suposta cena de orgia que vai ser colocada no capitulo 4. Sobre sociedades secretas talvez eles usem o grupo de magnatas conhecido como Bohemian Grove como inspiração para historia.

  6. Mariana 4 julho, 2015 at 15:25 Responder

    Adorei o minicast!
    Com relação as tomadas aéreas, eu também acho que parecem veias e os carros passando, são o sangue fluindo. Isso é reforçado pela trilha sonora, só eu que acho que parece o som do coração batendo? As vezes ele está mais acelerado e tem horas que ele bate mais lentamente de acordo com o ritmo em que o episódio esta.

  7. Allan Gomes 4 julho, 2015 at 22:20 Responder

    Tô curtindo muito o cast e também essa segunda temporada. Fico de cara que nas Internets por aí a galera tá reclamando da abertura e putz, acho que a abertura dessa segunda temporada tá MUITO melhor. Sabem dizer se a trilha sonora já tem pra ouvir/baixar em algum lugar?

Deixe uma resposta