Minicast Star Trek - Picard S01E08

Tem muita coisa que funciona em Star Trek: Picard, mas também tem muitos problemas, a maioria bobos, mas relevantes para como o espectador acaba digerindo o seriado. E no podcast da semana a discussão faz uma análise das coisas boas e ruins que a série tem desenvolvido em um episódio que consegue servir de exemplo para as duas vertentes.

Alexandre Luiz, Davi Garcia e Filipe Pereira se unem para mais um debate bem acalorado sobre Star Trek: Picard! Então, aperte o play e participe desta discussão!

Depois de ouvir, mande opiniões, críticas e sugestões pra gente! Elas são sempre bem-vindas! (Link para download do programa no final do post! Para evitar erros de download, ouça neste player aqui ou nos procure no Spotify!)

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

3 comments

    • Avatar
      Carlos 22 março, 2020 at 10:29 Responder

      Já achei a informação, segue pra quem quiser ler.

      Foi sugerido um evento trágico envolvendo o tempo de Rios na Frota Estelar, que levou à sua natureza sombria, e agora sabemos exatamente o que aconteceu e como ele quebrou o mundo de Rios de maneiras que ele não podia. prever. Aqui está a história de fundo do Capitão Rios e como ele se relaciona com Soji em Star Trek: Picard.

      No oitavo episódio de Star Trek: Picard, "Broken Pieces", Picard e Soji seguem para La Sirena após uma breve pausa em Nepenthe com os Rikers. Quando Rios coloca os olhos em Soji, no entanto, ele fica atordoado em silêncio antes de bater em Picard e se retirar para seus aposentos sem explicação. Raffi tenta tirá-lo de seu mal-estar, mas é preciso resolver o mistério do ibn Majid para fazê-lo.
      Antes de seus dias como capitão cargueiro, Rios era um jovem comandante promissor na Frota Estelar, o primeiro oficial do USS ibn Majid. Seu capitão era Alonzo Vandermeer, um dos oficiais mais condecorados da Frota Estelar e uma figura paterna de Rios. Anos antes, o ibn Majid encontrou uma pequena embarcação diplomática no limite do espaço da Federação, contendo dois embaixadores. A dupla teve um encontro típico de primeiro contato com a nave estelar da Federação, mas, para horror de Rios, Vandermeer mais tarde atirou e matou os dois embaixadores. Furioso, Rios confrontou seu capitão, que disse que ele matou o par sob ordens do Comando da Frota Estelar, e que se ele não cumprisse, eles teriam destruído o ibn Majid e matado todos a bordo. Incrédulo, Rios empurrou Vandermeer além do seu limite e o capitão virou seu phaser para si mesmo, terminando sua própria vida de uma maneira tão horrenda que assombraria Rios pelo resto de seus dias.

      Rios encobriu o incidente, expulsando os corpos dos dois embaixadores para o espaço e alegando que não fazia ideia do porquê o capitão Vandermeer se matou. Ele duraria apenas mais seis meses na Frota Estelar antes de receber alta por disforia pós-traumática. O mistério da morte de Vandermeer e o assassinato dos dois embaixadores pairavam sobre Rios como uma nuvem negra – até que Soji desencadeou uma tempestade na cabeça dele.

      A revelação (reconhecidamente conveniente) de que ele já desempenhou um papel importante na missão de Picard torna as coisas ainda mais pessoais para Rios, que deve ser abandonado por abandonar Picard e amigos depois de chegar ao mundo natal de Soji. Picard conhecia Vandermeer um pouco e diz a Rios que ele acreditava que ele era um bom homem e um dos melhores da Frota Estelar. Ainda alimentado pela raiva, Rios não consegue superar o fato de que Vandermeer traiu sua confiança, mas, como Picard explica a ele, foi realmente a Frota Estelar que traiu homens como Vandermeer. E a traição não era apenas a ordem assassina de um traidor como o comodoro Oh; a traição original era a proibição da vida sintética, que era uma distorção fundamental dos princípios da Federação, sem mencionar um tapa na cara daqueles que conheciam e amavam o tenente-comandante Data.

Deixe uma resposta