Review: The Walking Dead – 3x01 Seed

Uma promessa cumprida há tempos gera mais do que felicidade, nos trás esperança. Todos sabem que The Walking Dead foi um sucesso de público e crítica logo em sua temporada de estreia, mas como um fã do material original, eu fui desanimando com os rumos tomados pela série na sua enfadonha segunda temporada. Estender um arco breve por treze episódios foi um tiro no pé, a busca pela menina Sophia cansou fácil, o temperamento estúpido de Lori era um pé no saco e a desconstrução de personagens sensacionais da HQ como Andrea e Dale tiraram parte do brilho que a série ainda tinha.

Mas foi em Beside the Dying Fire, finale do segundo ano, que minha animação voltou a despontar. Largar o “mimimi” bobo de série sobre pessoas, para ser a série de zumbis que Robert Kirkman sempre prometeu foi o passo para glória e com a sensacional silhueta do assustador cenário da prisão sobre um discurso ainda mais impressionante de Rick, a estrada a seguir não podia ser mais promissora. Expectativas altas geram decepção, mas quando ela é atendida você apenas bate palmas lentamente, porque The Walking Dead voltou em forma, mais do que isso ela voltou para mostrar aonde quer chegar.

A silenciosa cena que abre esse ano mostra que Rick e seu grupo em nada parecem com aqueles desolados sobreviventes que só viam morte a sua frente e é pela barriga de Lori que descobrimos, o inverno passou, mas a frieza de sua estadia ainda se encontra naquelas almas. O massacre na casa abandonada é tão impressionante que a cada cabeça perfurada com balas, flechas, machadinhas, canos, você só abre ainda mais um sorriso sádico, afinal ninguém ali está para bobagens.

Que bela mudança na abertura, esse detalhe salta aos olhos pelo cuidado excepcional com os frames mais característicos dessa première, palmas mais uma vez. Eu até esperei que o ritmo diminuísse, mas isso não aconteceu em nenhum momento, o breve diálogo na estrada mostra que a situação de Lori é mais urgente do que aparenta e sem enrolação, Rick e Daryl acham a antiga prisão numa breve expedição. Como o antigo xerife dita as ordens agora, todos partem para tomar o pátio infestado de walkers e a sequência de ação mais impressionante da série teve início.

Se até T-Dog mostrou um direcionamento vocês não tem como negar que toda a invasão não ficou devendo em nada. A cumplicidade de cada um serviu para o sucesso da missão, até a barriguda conseguiu abrir os portões para Rick, que, diga-se de passagem, está em seu melhor momento, nem Daryl ofusca mais ele, o descampado é limpo rapidamente e os sobreviventes tem uma noite de descanso, com direito a fogueira, cantoria das irmãs Greene e cantada marota da Carol, confesso que nunca ri tanto de uma cena na série, a reação de nosso arqueiro favorito foi impagável.

Lori é chata como sempre, e ficou bem arrependida do esporro sem noção que deu em Rick depois da morte do Shane, sorte que ela carrega um possível filho do xerife e ainda tem um pouco do respeito dele que a tratou com desdém durante todo o episódio. Ninguém iria se contentar só com capim e um carro velho quando se tem a possibilidade de suprimentos para longa data, mais uma vez Rick planeja a entrada no primeiro bloco do local, e o terceiro, sim minha gente, o terceiro massacre tem início.

Foi lindo, minha adrenalina estava nas alturas, mas quando vi o walker no modo SWAT eu quase dou um grito, é muita emoção para o coração de um fã de longa data, destaque aqui para as melhores cenas de gore da série, com direito a gosma, pele arrancada, cabeça rolando e escalpos voadores, que beleza! Quando os produtores disseram que o design da prisão seria impressionante eles não exageraram, o bloco de celas ou novo lar de Rick e sua turma, estava mais do que fiel as HQ´s, tenho quase certeza de que a produção usou os desenhos de Charlie Adlard como storyboard.

Antes da apoteótica sequência que encerra o episódio, tenho que fazer um breve comentário sobre uma pessoa, eu não sei quais os planos para ela, mas as breves cenas de Michonne, a.k.a melhor personagem dos quadrinhos, foram sensacionais, a caracterização de Danai Gurira vai ser um show a parte de toda a temporada, só alertando os mais desavisados. Melhor ainda foi perceber que Andrea tem sim salvação, afinal é à Michonne que seus plots estarão ligados.

Claustrofóbica e assustadora, dois adjetivos que descrevem com perfeição a cena final. Eu sabia que a caminhada pelos corredores não ia dar em boa coisa, mas a aparição de dezenas de walkers me fez ter certeza que um dos sobreviventes ia rodar, a mordida na perna de Hershel foi uma reprodução fiel do que aconteceu com Dale na HQ e o impacto não foi menor. Ver Rick decepar a perna do fazendeiro a sangue frio foi de uma brutalidade ímpar, me calei em êxtase, pois tenho certeza que agora eu realmente vejo The Walking Dead com todo o seu potencial.

P.S.: Semana que vem tem a primeira aparição do Governador, estejam preparados.

Comente pelo Facebook

Comentários

6 comments

  1. Avatar
    Renan Braga 16 outubro, 2012 at 17:37 Responder

    Parabens a Glen Mazzara novo Produtor Executivo e Roteirista da serie, não tenho duvidas que toda essa mudança de ritmo, zumbie waves, importancia de cada pesonagem no episódio e principalmente fidelidade a hq se deve a ele estar no comando agora ! A tempos que eu nao me empolgava ou ansiava pelo proximo episódio de TWD e agora só tenho uma coisa a dizer Sick eu preciso lhe usar ! kkkkkkkkkkk

    • Avatar
      Guilherme 16 outubro, 2012 at 21:56 Responder

      Ousadia é você questionar o trabalho do Darabont! Mas a entrada do Mazzara veio em boa hora, só não culpo Darabont pelo fato da AMC ter mesmo limitado as pretensões dele para a série, fazer o que né? Por enquanto seguimos bom.

  2. Avatar
    Danilo 18 outubro, 2012 at 09:24 Responder

    Guardei o episódio da semana no baú de lembranças, foi preciso. Devido o desenrolar da temporada passada, confesso que ainda fico com o pé atrás mesmo com toda magnitude do episódio de abertura da terceira temporada. O maior receio é de eles terem usado toda a ação da temporada em um único episódio, assim como praticamente aconteceu antes, o que tinha de bom só veio no final. Eu aposto as minhas fichas nessa temporada e espero muito ter retorno e guarda mais do que o primeiro episódio nesse baú. A quem deve-se o fato das expectativas criadas para o próximo episódio eu não sei, mas quem quer seja tá de parabéns pelo feito. A cena inicial me deixou agoniado, todo aquele clima assentimental somado a caçada dos zumbis na casa, me fez achar que os personagens também eram zumbis, mas de maneira consciente, vagando por aí só a procura de suprimentos. Olhe, devia ter classificação de estrelinhas pro episódio e, com certeza, levaria nota máxima. O maior defeito foi: eu ter demorado pra ver. Parabéns pelo texto.

  3. Avatar
    Denis Gadelha 20 outubro, 2012 at 22:03 Responder

    Realmente um episodio que nos deixou aflitos e surpresos, e do jeito que voce gosta em guigas, com muito sangue e cabeças rolando. Sabemos o desenrrolar da historio atraves das HQs e assim podemos perceber o quao a serie esta sendo (em partes) fiel a elas e quando nao, mesmo assim nos surpreende. A animaçao continua para o que vem por ai e podemos esperar coisas boas pois ate o momento nao fomos decepcionados.
    Parabens pela Review Guilherme e que mais Zumbis nos aguardem.

Deixe uma resposta