Review: The Walking Dead – 4x01 30 Days Without an Accident

Sem mea culpa e sem enrolação. Estes adjetivos são o bastante para tornar o retorno da maior série “ame ou odeie” da atualidade num exercício eficiente de entretenimento. Logo, fico feliz em dizer que 30 Days Without an Accident faz o que nem sempre se espera de The Walking Dead, ou seja, empolga. Não é mimimi nem nada, mas sejamos sinceros, o mix narrativo das últimas temporadas nunca fizeram sentido quanto à estrutura. É sempre assim: temos uma primeira metade de temporada empolgante e um banho de água fria na outra, ou vice-versa. Claro que a maldição dos showrunners (bem ao estilo Harry Potter) que nunca passam mais de um ano no cargo tem parte nisto, mas por hora, vamos comprar o que o Scott M. Gimple reservou para nós neste recomeço, que a julgar pela sua primeira hora, guarda pretensões animadoras.

A fazendinha que o xerife Rick montou na prisão já pode figurar como uma das referências mais bem boladas ao material original. Nunca em The Walking Dead eu tinha me sentido tão bem. O clima de apresentação da nova ordem, que se estendeu pelos 20 minutos inicias do episódio, foram montados magistralmente. A química do elenco finalmente atingiu aquele status capaz de criar importância para cada um deles. Daryl e Carol num clima de romance troll foram o melhor de tudo, porém de cenas divertidas, acho que a Michonne risonha ganhou de qualquer um. Vale falar também que, tendo Greg Nicotero na direção, o gore potencializado veio na sua melhor forma e a limpeza dos gradilhos guardou os walkers mais estilizados para isto.

No quesito urgência, a segunda metade soube bem trazer um evento, que mesmo meio capenga na técnica (aquele CGI do teto estava terrível), conseguiu ser eficiente no suspense. Que um dos sobreviventes ia rodar ali era mais do que evidente, porém trazer a discussão para noção de sofrimento anestesiado pregado na triste constatação de Beth foi surpreendentemente dramático. Ainda sobre drama, a caminhada de Rick junto da sobrevivente meio walker é disparado o meu momento favorito do episódio. Andrew Lincoln quase nunca é citado quando se fala em bons atores, mas acho o trabalho do cara com Rick brilhante. Quem lê as HQ’s sabe que Lincoln conseguiu pegar todos os “tiques” do personagem (mesmo que seja desenho) de uma forma cuidadosa e responsável.

Como nem sempre cliffhangers escrachados funcionam (não senti nada pelo coitado do Patrick cair como walker ali), quem ficou mais atento deve ter percebido que existe mais do que uma simples coincidência na aparência dos walkers de olhos vazados. Não sei se vão trazer alguma doença relacionada à morte do porco ao fim do episódio, mas fiquei encucado com a importância dada aquilo e, para mim, o gancho mesmo ficou por conta desta dúvida. Sair do status quo após 30 dias deve movimentar as coisas daqui pra frente, e por movimento entendam: The Walking Dead já provou por diversas vezes que pode ser mais do que uma promessa. Vamos dar um voto de confiança... outra vez.

P.S.: Excelente a cena da Carol ensinando as crianças a se defenderem. Só espero que Carl não seja o manezão de sempre e acabe com tudo.

P.S.2: Que droga esse Tyresse da série. Como um fã do personagem na HQ, continuo decepcionado.

P.S.3: Conselho da fazendinha comandado por Hershel. Achei justo.

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

5 comments

  1. Avatar
    Júnior Silva 18 outubro, 2013 at 01:28 Responder

    Antes de tudo irei fazer um anuncia que irá chocar o mundo: NÃO DORMI!
    Eu realmente me surpreendi, achei super interessante essa volta, não teve nada que não me agradasse (tá vou parar os elogios com receio de que tudo vá por água a baixo)
    A ação no supermercado foi ótima, uma chuva nem um pouco agradável, que e energizou bem a série. Uma morte prevista, que preferia que fosse o homem do pé preso do que o ficante da loirinha, fiquei com pena, mas ela não se apega mais aos machos, então tudo bem.
    Amei a Colheita Feliz o/ os porquinhos tão fofos *-* (passei a gostar mais de porcos ultimamente – "you just the pig inside… SWINE!" ♥), o cavalo também, as plantinhas que até num apocalipse zumbi são mais verdes que as daqui =p
    De resto gostei bastante, mas só uma fato me deixou curioso também, a morte do amigo de "Todo mundo odeia o Chris", creio que aquilo seja uma doença que o infectou ali mesmo, aposto até que a morte do porco e a dele tem alguma relação, até um vírus combinado com uma doença contagiosa, não sei, não vou viajar por TWD, vai que dar errado e volto a dormir nos episódios xD

    ps: (ex)Carequinha e Judas sarrem já! Obrigado ^^

  2. Avatar
    José Guilherme 19 outubro, 2013 at 12:12 Responder

    Boca, teus comentários são os meus favoritos e agora que você falou da Colheita Feliz, será que teremos um momento Plantas vs. Zumbis?! Imagina aí como seria um máximo! ahahahahahahaha Adoro o fato de tu não decorar o nome de ninguém também, mostra a relevância da série né?
    Volta sempre aqui cara… E vamos começar uma campanha em pró de um quarto para Judas e a (ex)Carequinha! o

  3. Avatar
    Júnior Silva 19 outubro, 2013 at 14:23 Responder

    Plantas vs. Zumbis *O* não tinha me tocado nisso! A-M-E-I ♥
    Tenho problemas em decorar nomes de personagens e sem contar esqueço o que já aconteceu, você sabe kkkkk
    Tomara que o próximo ep. seja digno e que não me faça dormir, pra eu poder comentar direito haha xD

Deixe uma resposta