Minicast Twin Peaks E14

Quem achou que o ápice Lynchiano do retorno de Twin Peaks estava no episódio 8, foi pego de surpresa neste de número 14. Unindo a mitologia da série com o surrealismo típico do diretor, o espectador recebe uma variedade enorme de informações enquanto é confrontado com mais mistérios e perguntas!

Aperte já o play e vem conferir os comentários de Alexandre Luiz, Davi Garcia, Filipe Pereira e Luan Cardoso em mais um podcast sobre o retorno de Twin Peaks. E não se esqueça: comente sobre o episódio abaixo 😉

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

5 comments

  1. Jorge 21 agosto, 2017 at 05:47 Responder

    Ótimo minicast!

    Chamem mais o Luan Cardoso pra reta final da temporada. Fiquei impressionado como ele agregou a discussão sobre Twin Peaks…

  2. leo cordeiro 22 agosto, 2017 at 22:44 Responder

    Ótimo cast. Bacana pra quem quer entender melhor o conteúdo da série.
    Bem, várias suspeitas se concretizando, outras indo por terra, e Lynch segue dando um nó em nossa cabeça e nos deixando apreensivos pelo final que provavelmente ficará com pontas soltíssimas.
    Sobre o Doug: ficou em mim ainda mais a impressão de que ele é uma invocação do Bad Cooper para poder ser um substituto dele em uma troca de corpos caso o verdadeiro Cooper voltasse, e por isso mesmo eu considero que aqueles contratados para matar o Dougie era justamente para executar o Cooper no momento exato após a troca.
    O rapaz da luva: aquele negócio do Lynch dar poderes extra-humanos para o Bad Cooper, creio que o diretor quis dar uma leve brincadeira com os atuais filmes de super-heróis, e acho que esse novo personagem (que, diferente do mencionado no podcast, já havia sido introduzido lá no segundo episódio, no finalzinho, na cena no bar) será alguém capaz de emparelhar em força com o vilão.
    A cena em que o Andy vê os eventos passando como um filme: achei muito bacana pois dá uma panorâmica geral de como foram se sucedendo os acontecimentos, inclusive a cena da Lucy creio que é um desdobramento futuro, e me pareceu que a Lucy foi levada ali para escolher, decidir, descobrir qual dos dois é o verdadeiro Cooper, visto que quando ela para, ela fica olhando para dois pontos distintos. Acho que é ela que irá decidir o impasse e o rapaz da luva é que vai dar uns trancos no bad Cooper.
    Pessoal, uma coisa que eu reparei é que, diferente do Bob, esse bad Cooper não é da zoeira, da farra; ele parece que é só da violência; ora, o Bob não era “farra e violência” ??? Será que para ele invocar aquele clone dele mesmo (ou Tulpa) ele teve que doar algo dele mesmo e ficou ele com a característica da violência e o Dougie com a característica da farra, das orgias???

  3. leo cordeiro 23 agosto, 2017 at 08:13 Responder

    Outrossim, na minha interpretação Andy foi escolhido porque o "Bombeiro" viu nele a pureza e a bondade necessária para aquela missão, justamente pelo simples fato do amparo que ele deu, o segurar as mãos, para aquela mulher tão distinta e incompreensível.
    James ficou parado encarando uma reles porta ou será que ele estava percebendo "o barulho" ??? ele não está no hotel do Horne? o som que ele escuta não é o tão somente o mesmo som misterioso ouvido por Ben Horne? Eu conjecturei até que de repente esse som possa vir de uma daquelas caixinhas, daquele dispositivo misterioso que se autodestruiu lá na Argentina. Será que não seria um dispositivo capaz de aprisionar uma pessoa em outro plano, assim aprisionando o agente Phillip Jeffries como aprisionando, em Twin Peaks, a Audrey Horne em um tipo de coma, ou cousa parecida. E estranho tbm que nem o pai dela, nem ninguém, exceto o dr. Hayward, mencionar Audrey.
    Estranho que Sarah Palmer tivesse qualquer tipo de poder sobrenatural antes e não ter conseguido fazer nada para impedir que sua filha fosse brutalizada (bem, se assim o tivesse feito não teríamos essa soberba série, não é mesmo hahahaha). E o legal que quando dessa reviravolta, ela atacando aquele infeliz como se fosse um animal predador, me lembrei de uma de suas primeiras cenas nessa temporada, quando ela assiste em sua televisão cenas de animais predadores atacando e comendo suas vítimas; alguém mais tbm reparou nesse link?

    • Alexandre Luiz 23 agosto, 2017 at 10:03 Responder

      Valeu pelo comentário, Leo! Bem sacado o link com o programa assistido pela Sarah Palmer! Faz todo sentido. Fora que isso também pode representar o interesse dela por algo que mostre violência primal, reprimida nela por todos esses anos. E vc tem razão, o rapaz da luva aparece mesmo no segundo episódio, porém sem uma apresentação real de quem ele é ou o que pode fazer. Grande abraço! Obrigado pela audiência e pelo comentário, mais uma vez!

  4. Ricardo Tamanini 9 setembro, 2017 at 16:16 Responder

    Lendo o livro O Diário Secreto de Laura Palmer, escrito pela Jennifer Lynch, há a seguinte citação:
    "Eu podia ver nos olhos dela que alguma coisa a machucara, mas nem quis começar a entender o que era até mamãe me contar quando cheguei em casa. Ela disse que Margareth (a Senhora do Tronco) tinha um marido que era bombeiro. Ele morreu apagando um incêndio, e mamãe disse que foi horrível porque ele tropeçou numa raiz, ou qualquer coisa, e caiu de cabeça em um braseiro e queimou até morrer, a começar pelo rosto. Eles tinham se casado havia pouco quando isso aconteceu,e desde então Margareth não falou mais com ninguém e guardou a dor para si mesma. Mamãe disse também que ela não usava aquele tronco antes de o marido morrer".
    Aí vem na cabeça aquelas dúvidas:
    – Seria "o bombeiro" o marido da Senhora do Tronco?
    – O marido da Senhora do Tronco que morreu queimado seria alusão ao subtítulo do filme "Fire Walk With Me"?
    Sim, não, talvez? Enfim… deixa o assunto rolar.

Deixe uma resposta