Review: The Walking Dead S08E10 – The Lost And The Plunderers

Vida que segue

(AVISO: SPOILERS)

Carl está morto. Em definitivo. Ainda não há uma explicação clara para aquela cena final do último episódio, mas, pelo menos, nesse quesito, os roteiristas da série parecem que vão arcar mesmo com o peso da morte de um dos personagens que mais se desenvolveram em The Walking Dead.

Quem parece não arcar com o peso da morte de Carl, na verdade, é Rick e Michonne, ambos bastante abalados pelo o que aconteceu. Este é o ponto de partida deste décimo episódio, que tem como característica bem interessante ser dividido por personagens em núcleos narrativos bem distintos.

E, como a série possui personagens bem diversificados, alguns desses núcleos ficaram muito bons, outros, não. Os que envolvem o da Michonne e de Enid, por exemplo, são chatos, arrastados e não levam a lugar algum.

Enquanto uma continua desequilibrada emocionalmente, o que deixa todos ao seu redor sempre em apuros, a outra se salvou de ser morta junto com Aaron devido a um plano que continua confuso e sem nexo.

Felizmente, a maior parte do episódio se concentra em personagens bem mais interessantes, ou que, pelo menos, fazem a narrativa “andar”. É o caso dos núcleos de Simon, braço direito de Negan, e de Jadis, chefe da comunidade do Lixão.

O primeiro mostra muito bem o seu potencial de vilão quando desconta nas pessoas do Lixão o que não pôde fazer em Hilltop. Já, a segunda cai numa tremenda tragédia, culminando numa das cenas mais grotescas e tristes deste episódio.

Porém, o foco principal mesmo recai sobre Negan e Rick, os grandes rivais da série neste momento, e cujas narrativas neste episódio se encontram tendo como linha condutora Carl e as cartas que ele deixou.

Inclusive, ótimo ver os atores que interpretam ambos os personagens continuarem em alto nível aqui. Sentimos tanto a dor de Rick, quanto a de Negan, com a morte de Carl (cada um à sua maneira, evidentemente), e os respectivos atores conseguem passar esas sensações de maneira brilhante.

O episódio encerra com uma constatação até correta por parte de Negan, e que pode selar o fim da guerra sem fim entre os grupos. Será?

Bom episódio, que vai partindo ações separadas, mas, que se aglutinam no final, e fazem a narrativa ter sentido. Torcer, ao menos, para que esse equilíbrio permaneça até o fim desta (turbulenta) temporada.

Erick Silva

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta