Crítica: Vizinhos Imediatos de 3º Grau

“Mesmo tendo bons momentos, seu roteiro pedestre o torna um desastre.”

Esta é mais uma comédia escapista contemporânea, que trás novamente a ideia de uma raça alienígena querer visitar a terra, sem breve interesse específico. Escrito pelo ator e roteirista Seth Rogen, junto ao seu parceiro Evan Goldberg - ambos criadores do ótimo ‘Superbad - É Hoje’ - ‘Vizinhos Imediatos de 3º Grau’ é um filme recheado de referencias à cultura pop, com boa dose de humor oportunista, mas que peca muito em possuir um texto extremamente raso, talvez insignificante, em amplitude geral. É claro que seu alicerce é o que menos importa naquilo tudo. Já que várias escadas são criadas para piadas prontas dos personagens que são ali apresentados. E, que, talvez funcione para aqueles possuem o dom de desligar a cérebro, momentaneamente, sem ter um mínimo senso plausível da realidade.

A pobre estória sucede quando quatro sujeitos ordinários juntam-se para formar o grupo de vigilância da vizinhança. Devido a um assassinato bárbaro ocorrido no estabelecimento de um dos membros desse futuro bando. Na verdade isso não passa de uma desculpa esfarrapada para escaparem de suas vidas sem graça, ao menos uma vez por semana. Porém, tudo muda quando, acidentalmente, eles descobrem que a sua pacata cidade foi invadida por extraterrestres, que estão se passando por humanos. Logo assim, eles se veem no dever de “salvar o mundo” desses seres ufológicos.

A equipe é formada por quatro canastrões: Evan, que é vivido pelo regular Ben Stiller (Trovão Tropical), repetindo aqui sua sucessiva cara de bestalhão inocente; Bob, interpretado pelo anódino Vince Vaughn (Com a Bola Toda), tendo uma passável presença; Frankli, que ganha vida por Jonah Hill (O Homem Que Mudou o Jogo), que já havia trabalhado com Rogen em várias outras películas; E, Jamarcus, glosado pelo mediano ator de seriados Richard Ayoade (The IT Crowd). Figuras fraquíssimas, de pouco apelo dramático, e que, em nenhum momento, causam o interesse do espetador querer realmente saber quem são eles. A regra básica de identificação de personagem é aqui descartada, visto que a apresentação e construção de ambos inexistem.

Quem assina a direção é o medíocre cineasta Akiva Schaffer (Hot Rod - Loucos Sobre Rodas), engendrando uma narrativa falha, cansativa e nada instigada. Falsamente sustentada por inúmeros gracejos impelidos, que em uma hora ou outra tem êxito. A maioria delas por referências de outros títulos que, abordaram de forma mais competente, o assunto aqui explanado. A fotografia de Barry Peterson (Anjos da Lei) ganha destaque por mesclar bem, determinadas tonalidades sobre circunstâncias temporais. Já a trilha sonora de Christophe Beck (Se Beber, Não Case!) passa despercebida. Atuando de maneira muito discreta, dentro das cenas de ação e suspense advindas.

Em todo caso, as anedotas que sapecam a fita, podem fazer com que o espectador médio, divirta-se (engane-se) e esqueça os inúmeros problemas que perduram durante toda sua exibição. Um fato que realmente preocupa, pois contribui para um nivelamento de baixíssimo nível. Formando um público que pouco se atenta com a qualidade da obra. Residindo ali, apenas pelo consumismo da mídia e ramificações adicionadas. Assim, o longa acaba, fatalmente, jazendo em mais uma classificação dos muitos descartáveis títulos que estão sendo lançados após o verão estadunidense. Pergunto-me se realmente está faltando boas ideias em Hollywood.

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

2 comments

  1. Avatar
    Jotta 1 fevereiro, 2013 at 09:46 Responder

    Quanta bobagem neste texto… o filme é excelente com humor escrachado, feito somente para rir… ou vocês queriam oque? o filme ja fala sobre extra-terrestre etc… existem várias camadas para o humor, esse filme é pra quem quer somente rir sem se perguntar se tem alguma lógica ou não… nem tudo na vida tem que ficar sendo explicado…

  2. Avatar
    Josimar Souza Locutor 1 fevereiro, 2013 at 12:46 Responder

    Quanta bobagem neste texto… o filme é excelente com humor escrachado, feito somente para rir… ou vocês queriam oque? o filme ja fala sobre extra-terrestre etc… existem várias camadas para o humor, esse filme é pra quem quer somente rir sem se perguntar se tem alguma lógica ou não… nem tudo na vida tem que ficar sendo explicado…

Deixe uma resposta