Alerta Books - A Menina que Roubava Livros

Mais uma vez eu volto aqui para falar de um filme que ainda irá estrear. A Menina Que Roubava Livros (The Book Thief) é escrito por Markus Zuzak e foi publicado em 2005 na Austrália e seguidamente em 2007 no Brasil pela Editora Intrínseca. Na última quarta-feira (21/08) a sua adaptação teve seu primeiro trailer divulgado (que você confere no final do post).

O filme só estreia em 2014, mas enquanto isso todos temos tempo suficiente para ler ou reler o livro. A história de A Menina que Roubava Livros é bem peculiar. Além de ser narrada pela Morte, nele a protagonista Lieslel Meminger vive sua infância durante a Segunda Guerra Mundial e aprende o prazer da leitura e, assim como o nome do livro, acaba “roubando” livros para ler e fugir daquela triste realidade.

O livro conta com muitos personagens fortes e bem construídos e trabalhados pelo autor. Não existe, durante toda a leitura, um personagem que não valha a pena ou não mereça seu espaço na narrativa.

Chegando para encantar qualquer leitor, o início de A Menina Que Roubava Livros fez, por incrível que pareça, muita gente desistir da leitura e perder a oportunidade de finalizar uma das melhores leituras da sua vida. Assim como no aniversário de Bilbo em A Sociedade do Anel, o começo dessa história deve ser lido com persistência. Pois a hora que caminha você não quer parar nem para respirar.

O livro se passa durante uma época pesada, triste mas que precisa ser lembrada para nunca ser revivida. Zuzak trabalha muito bem a descrição de cenas de ataque e fuga das pessoas para conseguir se esconder de um bombardeio. Narrando uma parte tão triste da existência humana de forma verdadeira e humanista. Com respeito e verdade.

A beleza de A Menina Que Roubava Livros está em sua forma complicada de ser simples e cheio de humanidade. Ele te faz ficar com um peso grandioso no coração e se perguntar qual o motivo para que a morte esteja contando aquela história.

Deixe que a Morte te conte essa trama, deixe-se viver todos os momentos e conhecer todos os amigos de Liesel que tornam essa história tão única. E já sabe… em 2014 nós nos vemos chorando na sala de cinema. Até lá!

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta