Rock & Horror: Uma lista de filmes que mistura terror e música

Julho é conhecido no Brasil como o mês do Rock'n Roll, onde se comemora o dia mundial do ritmo mesmo que no resto do mundo não se celebre junto - sim, somos um país confuso e que inventa datas comerciais gratuitamente.

Esse pareceu um bom pretexto para discutir sobre filmes de horror cuja temática passa pelo estilo de vida dos headbangers, punk etc.

Tiramos a poeira dos coturnos para falar brevemente sobre alguns filmes cuja temática tem o horror e rock'n roll como base e que usam a música do diabo como mote ou vividos por gente da indústria.

Abaixo, temos alguns bons filmes dentro dessa estética.

Heavy Metal do Horror (1986) de Charles Martin Smith

Trick or Treat: O Heavy Metal do Horror da Galhofa e da Farofa - Cine Alerta - Cinema e muito mais!

Também conhecido como Rock do Dia das Bruxas, essa é uma produção dos anos 1980 que mostra um menino que se acha injustiçado dentro da sua própria rotina e que vê na figura do rockstar Sammi Curr um ídolo, que saiu da mesma cidadezinha dele para ganhar os palcos no mundo.

O problema é que Curr falece, pouco antes de ir tocar na escola do rapaz, e acaba sendo trazido de volta ao mundo comum quando o protagonista toca um disco perdido, de músicas inéditas, que ao ser executado ao contrário, invoca o espírito do musicista, fazendo dele uma versão roqueira de Freddy Krueger, de A Hora do Pesadelo.

O longa é dirigido pelo ator Charles Martin Smtih, mais conhecido do público como o Oscar Wallace de Os Intocáveis, e mesmo com a premissa galhofeira, contém uma abordagem visual bastante curiosa, com um gore decente, belas mortes e uma trilha sonora assinada pela banda Fastway e ainda conta com boas participações de Ozzy Osbourne e Gene Simmons do Kiss.

Terror no Estúdio 666 (2022) de BJ McDonnell

Terror no Estúdio 666" estreia nas plataformas digitais

Essa é uma das produções mais recentes entre as listadas e que ficou infelizmente marcada pelo fato de ter sido lançada pouco tempo antes de um dos seus "protagonistas".

Terror no Estúdio 666 é todo protagonizado pela banda Foo Fighters, e se baseia nas ideias loucas e no desempenho do guitarrista, cantor e líder da banda Dave Grohl , que faz uma versão exagerada de si mesmo, tanto no processo de composição e criação, onde é mostrado como alguém desequilibradíssimo, quanto ao ser possuído por um espírito maligno.

Há elementos de bruxaria, de pactos satânicos, uso de galões e galões de sangue falso, muitas piadas internas para os fã do FF, referências a cena grunge de Seattle dos anos 1990, uma trilha fodástica da Dream Widow - banda de um homem só onde Grohl expressa todo seu apreço pelo heavy metal - efeitos especiais bem legais e participações de gente famosa, incluindo John Carpenter, que também compõe a trilha de abertura.

Como dito, o longa ficou marcado por conta de Taylor Hawkins ter falecido na época que a história ganhou os cinemas, mas a obra em si é divertida, foi analisada por este que vos fala no Disconversa, e segue uma das produções mais divertidas no ano.

Mayhem - Senhores do Caos (2018) de Jonas Åkerlund

Foto de Lords of Chaos - Foto 8 - AdoroCinema

Mais conhecido por seu nome original, Lords of Chaos é uma cinebiografia a respeito da banda norueguesa Mayhem e seu fundador Euronymous e seu estranho assassinato nos idos da década de de 1990.

Não há aspectos espirituais na trama, na verdade até se brinca um pouco com isso uma vez que o conjunto musical se auto proclama a banda definitiva de Black Metal.

O filme tem uma atuação muito boa de Rory Culkin, mas se perde um bocado na tentativa de tornar o personagem em um sujeito heroico ou digno de pena.

Não há mocinhos no entrave entre Kristian Varg Vikernes (idealizador do Burzum) e o personagem central do filme, sem falar que as pessoas que fizeram parte da história real dizem que o roteiro do filme é idealizado, bem como o material base presente no livro Lords of Chaos de Michael J. Moynihan e Didrik Søderlind.

Sobram acusações, sangue, violência explícita, gore e boas cenas de igrejas em chamas, resultando numa celebração bastante agressiva ao Rock. Não é um filme perfeito e é até simplista em vários pontos, mas vale a pena assistir para quem é fã.

Deathgasm (2015) de Jason Lei Howden

Prime Video: Deathgasm

Esse possivelmente é o menos conhecido entre as obras listadas. Filmado na Nova Zelândia por um dos especialistas em efeitos especiais que trabalhou na trilogia Hobbit e Senhor dos Anéis, essa é uma história de um grupo de adolescentes, que descobrem uma música proibida, que abre os portões do inferno sobre a Terra.

Os efeitos especiais são absurdamente bem encaixados, e as atuações são ótimas, se debocha da pretensa seriedade de Headbangers, Tr00zeiros e metaleiros, com uma narrativa semelhante aos filmes de adolescentes, utilizando não só os riffs de guitarra como base, mas também a estética "Viking" Metal, como o visto em bandas estilo Manowar.

Há um sem número de piadas juvenis (que nem sempre funcionam, diga-se) muita, mas muita violência gráfica mesmo e nem sempre esse humor acerta, mas para quem é fã, vale demais a pena ver.

--

Esta é uma lista que pode ser expandida, e provavelmente voltamos em breve, com mais dicas que associam o ritmo ao gênero fílmico. Até lá.

Avatar

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta