Higurashi no Naku Koro ni – Um perturbador quebra-cabeças de horror

Falar de animes como Higurashi no Naku Koro ni é difícil. Por muito tempo ele dividiu opiniões e se encaixava bem na classificação “ame ou odeie”, mas depois de suas continuações, e ao entendermos mais sobre a sua brilhante execução, ele foi sendo elevado ao status de cult. Sim, ele tem uma trama complicada e que pode soar um pouco presunçosa a primeira vista, mas o que não se deve negar é sua capacidade de assustar e surpreender com pequenas situações ou cenas marcantes, impressionando o mais antigo fã do gênero.

Baseado numa série de jogos eletrônicos do estilo visual novel (adaptações pouco comuns no mercado japonês), a série conta a história de um grupo de amigos que vivem em uma cidadezinha do interior do Japão chamada Hinamizawa. Lá, todos levam uma vida aparentemente tranquila, mas a sombra de um festival pagão tradicional que sempre termina em misteriosos desaparecimentos passa a incomodar seu mais recente morador, o jovem Maebara Keiichi. Ele estuda em uma escola com apenas uma sala de aula e lá é amigo de um apaixonante grupo de garotas, Keiichi só começa a se sentir assustado, quando descobre que os eventos sem explicações que tornaram a cidade conhecida em boa parte da região, tem uma estranha ligação com suas amigas.

Dessa forma, a trama passa a tomar forma e a cada capítulo vamos descobrindo mais do sombrio passado de Hinamizawa e o porquê de garotas que não passam de adolescentes (todas tem de 8 a 13 anos) estarem tão envolvidas nos acontecimentos. O ponto forte de Higurashi está na sua narrativa não linear. Seguindo de perto o material original, a primeira temporada do anime é dividida em seis arcos. Durante os quatro primeiros, somos apresentados à mitologia daquele local e nos dois últimos começamos a conseguir parte das respostas principais.

A animação não é nada impressionante, mas mantém a qualidade já conhecida do estúdio DEEN, responsável por outras séries de sucesso como Ranma 1/2 e DNA². Porém é a direção de Chiaki Kon que têm um destaque maior. Com planos inspirados e a capacidade de imprimir urgência nas sequências mais simples, é impossível não se sentir angustiado ou mesmo impressionado em determinados arcos do anime. Fica claro que o diretor sabe o material que tem em mãos, e prepare-se para ser enganado pelo clima fofo que é prontamente substituído por uma cena tensa, apenas com a mudança no olhar de alguns dos protagonistas.

Como falei, se Higurashi peca, é por aparentar ser o que não é. Alguns vão torcer o nariz e dizer que a série é apenas mais um exemplar pseudo-cult, por não apostar em explicações fáceis. Mas os erros cometidos nesse primeiro ano são sanados e dá lugar a uma trama ainda mais envolvente e coesana segunda temporada. Se você gosta de mistério, suspense e um pouco de gore, o anime é uma pedida certa. Mas esteja preparado para pensar e tentar resolver um quebra-cabeças, digamos que um tanto quanto surreal.

P.S.:Higurashi no Naku Koro ni significa “Quando as Cigarras Cantam” e vocês vão entender o quanto a presença delas é essencial no clima dos episódios mais assustadores.

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta

Confira também