Resenha: Olam - Crônicas de Luz e Sombras

mapa

capaNão é preciso ser Tolkien, C.S. Lewis, Robert E. Howard ou R.R. Martin pra escrever bem sobre mundos de fantasia. E, graças à competentes autores brasileiros, já está provado que esse tipo de literatura não precisa nem vir de fora pra ter qualidade.

A mais recente adição à bibliografia nacional sobre o assunto é Crônicas de Luz e Sombras de L.L. Wurlitzer. O primeiro livro do que deve ser uma série em 4 volumes é Olam.

Narrado pelos próprios personagens, a trama mostra uma guerra iminente entre o Império dos shedins e o reino de Olam.

A estrutura em primeira pessoa é bem usada, auxilia o leitor a perceber o perigo constante a que o protagonista Ben se sujeita quando embarca em sua jornada heroica.

Utilizando vários elementos da Bíblia Hebraica (contando inclusive com um glossário de termos dessa origem), Wurlitzer demonstra toda a pesquisa que fez, seja em linguística ou histórias antigas, para criar um mundo fascinante, recheado de surpresas, mistério e aventura, muito bem dosados e que só agregam ainda mais valor a um gênero literário crescente num país que, mesmo com tradição de grandes escritores, não se destaca por ter vários leitores. Tomara que com boas publicações como Olam, essa cultura comece a mudar.

Book trailer:

Leia o prólogo e o primeiro capítulo

Site do livro

Página do Facebook

Compre o livro aqui.

Alexandre Luiz

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

2 comments

Deixe uma resposta