Review: Glee – 4x16 Feud

Quando um especial comum se torna palco para algo mais. Vem cá, quando foi que imaginaríamos Glee alcançando níveis tão impressionantes de qualidade? Por mais que a série fosse um bom entretenimento, ela nunca chegou a ser unanimidade. O episódio da semana é um presente para os fãs fiéis, pois abraça mais do que o espírito gleek ao mostrar que a nossa série favorita tem um dos roteiros mais geniais da atualidade. E dizendo isso, faço menção aos números musicais e as piadas inspiradas que colocaram as rixas épicas entre cantores como pano de fundo para o desenvolvimento espetacular dos plots iniciados nas últimas semanas.

Deviam deixar os integrantes do New Directions escolherem os temas semanais, pois a coisa foi essencial para o que vimos. Will começou uma sessão de “tortura psicológica” com Finn, ao encarnar uma versão escolar da Miranda Priestly. Esses momentos ficaram bem perceptíveis aos olhos do Glee Club que notaram o fato de Finn retomar seu hábito de descontar a raiva nos móveis próximos a ele. Então nada como uma intervenção clássica pra resolver essa briga boba que podia desestruturar a qualidade do coral que está às portas das Regionais.

A señorita Santana Lopez continuou mostrando que era ela o que faltava para NY retomar aquele ritmo do começo da temporada. O lance da gravidez de Rachel se resolveu mais rápido do que eu esperava, mas foi bem melhor assim. Santana, no entanto, não deixou as suspeitas contra o homem de plástico de lado. O negócio é que Brody é miché mesmo e a gente já pode aplaudir a série mais uma vez pelo musical da revelação. How to Be A Heartbreaker foi bem coreografada, executada e só exaltou ainda mais o valor da produção que a gente ama.

Como não se aplica lógica a Lopez, a nossa bitch invade uma aula no NYADA e esfrega na cara de Brody o que ele realmente é. Santanão não esconde sua certeza de que Cold Hearted foi o melhor número musical que a faculdade viu em anos ao ser confrontado por Rachel e Kurt. E confesso que mesmo sendo uma cena séria, o momento em que ela é expulsa do cafofo Kurchel foi hilário. Só me pergunto se ela foi mesmo dormir na casa da Lena Dunham?

Voltando ao tema do McKinley, as disputas não ficaram só a cargo de Will e Finn, pois subitamente descobrimos uma inesperada guerra fria entre Sue e Blaine e um mal entendido entre Ryder e Wade/Unique. Os últimos foram menos significativos, mas nos renderam boas cenas de Unique e um dueto legal para exaltar o “fim” da eterna briga entre Elton John e Madonna. Já Sue e Blaine foi outra história. Cimento no gel de cabelo, cartões de créditos estourados e revelações públicas sobre o íntimo de Blaine foi para chorar de tanto rir. Tudo só poderia ser superado por Sue vestida de Nick Minaj para ganhar a disputa que garantiria a ela uma cheerio gay. I Still Believe/Super Bass não foi necessariamente um mash-up, mas a cretinice está justamente aí. Tintas néons e triciclos inspirados na celebridade de Trinidad e Tobago são sinônimos de genialidade pontual.

Uma luta entre mestre e aprendiz, só seria resolvida trazendo aquela que foi nos anos 90, a maior disputa POP! Junte 'N Sync vs. Backstreet Boys as moças se descabelando e tente não enxergar o brilho da ideia. Pois é, Will e Finn não reataram a amizade depois de Bye Bye Bye/I Want It That Way, mas isso serviu para Finn cair na real depois do sincero conselho de Marley. A moça também decidiu que Jake é o seu amor, não entendi, mas tudo bem, pois Ryder parece ter encontrado uma forma de superá-la.

Aposto com quase certeza, que a tal da kate_xoxo é parte de um plano maligno dos Warblers com o Vocal Adrenaline e não vai demorar muito para uma setlist do Glee Club vazar. Já bastaria esse tom de mistério para encerrar o episódio, mas Santana deu uma última cartada e desmascarou Brody na frente da pessoa que mais ama Rachel. Que surra e que cena. Eu gosto do Finn então vibrei demais no quebra pau. É aguardar se a fofura costumeira do novo New Directions (Closer mostrou bem isso) será o suficiente para levar as Regionais e se Rachel vai finalmente acreditar em Santana, agora tendo Finn como suporte. Essa Glee do meu coração.

Gleeks gonna gleeks: Teve piada com Smallville. Ponto né gente?!

Gleeks gonna gleeks 2: O drama de Wade/Unique foi bem pequeno mas conseguiu emocionar.

Gleeks gonna gleeks 3: Becky gritando: “MINAAAAAAAAJ!”, quase infarto de rir.

Músicas do Episódio:

 How to Be a Heartbreaker (Marina and the Diamonds) – Brody e Rachel.

The Bitch Is Back/Dress You Up (Elton John/Madonna) – Ryder e Wade/Unique.

Cold Hearted (Paula Abdul) – Santana.

Bye Bye Bye/I Want It That Way ('N Sync/Backstreet Boys) – Will e Finn.

I Still Believe/Super Bass (Mariah Carey/Nicki Minaj) – Blaine e Sue.

Closer (Tegan and Sara) – New Directions.

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta