Another – Entre o esquecível e o memorável

É bem verdade, que a qualidade das animações japonesas passou por um avanço louvável nos últimos anos. Aquela sensação de estar assistindo um OVA serializado foi alavancada pela poderosa Madhouse. Não querendo perder em audiência ou mesmo reconhecimento, boa parte dos outros estúdios, investiram maciçamente em suas produções, mesmo que a história contada não fizesse jus a preciosidade quase cinematográfica de boa parte dos novos animes. Another se enquadra na lista de animações que pouco tem a oferecer quanto ao roteiro, mas se destacam pelo deleite visual que chega a proporcionar.

Baseada na light novel do autor Yukito Ayatsuji, elaé um atmosférico conto de suspense, sobre um mistério envolvendo os estudantes da sala 3-3 da escola Yomiyama. Ambientado no ano de 1972 conhecemos Sakakibara Kouichi, um adolescente de 15 anos que acaba de se mudar para cidade de Yomiyama. Devido a um pneumotórax Kouichi é hospitalizado bem quando o ano letivo começa. Fã de Stephen King e outros autores de suspense/terror, não demora muito para ele percebe a bizarra presença de uma jovem no hospital.  A garota vestida com o mesmo uniforme de sua escola e um tapa-olho caminha sempre em direção ao necrotério. Mesmo curioso Kouichi não chega a se aproximar dela, até que semanas depois quando começa a assistir as aulas, descobre que a moça estuda na sua sala, mas estranhamente não recebe atenção de nenhum dos seus colegas.

A menina se chama Misaki Mei, e seu isolamento passa a incomodar Kouichi, que descobre das formas mais assustadoras o porquê do tratamento que ela recebe. Entre uma lenda da cidade, antigas mortes e o começo de bizarros acidentes, Kouichi se vê cada vez mais conectado a Mei e ao mundo dela, mas quando seus colegas mostram o verdadeiro motivo para as últimas mudanças em sua vida, ele passa a correr contra o tempo para desvendar o que realmente acontece com os estudantes da sala 3-3.

Essa breve sinopse poderia ter saído de um livro de King, ou mesmo de algum filme de terror, mas é este o intuito de Another, apostar numa ambientação já conhecida e estimada pelos fãs do gênero, para construir uma história vaga, que não se sustenta, pois seus personagens vão do caricato ao esquecível. Eu quis muito que a produção trouxesse um novo ar para uma linha tão saturada, pois sou fã confesso de terror e todas as suas vertentes, só que o horror ficou apenas na promessa.

Claro que eu não deixaria de tecer elogios ao estúdio P.A. Works pelo trabalho e cuidado com toda a produção do anime. Temos cenas gore de arrepiar, porém elas são inseridas numa atmosfera tão sutil que você se impressiona pela beleza trágica das inúmeras mortes que começam a acontecer. Another é muito comparado com a franquia Premonição, pois a incidência das mortes tomam as mesmas saídas dos filmes citados, o que não chega a ser ruim, mas cansa com o tempo.

Contando com um final apocalíptico e reviravoltas que convencem pelo conjunto da obra, o anime é mais um passatempo do que realmente uma obra a figurar entre os gigantes que o acompanham do passado. Vale a conferida se você está buscando um anime curto (são 12 episódios ao todo) e que prime pela qualidade técnica, só não espere ser pego de surpresa por algo memorável, pois você vai se decepcionar.

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

2 comments

  1. Avatar
    Kellen Carolline Bonassoli 18 janeiro, 2013 at 15:44 Responder

    Respeito sua opinião mas discordo totalmente the resenha. Another homenageia o gênero literário do terror com referências escancaradas e outras absurdamente sutis a autores, e histórias bem conhecidas. A sensação de dejavu vai permear as impressões do espectador por realmente ter ali vários elementos bem conhecidos. Assistam o anime tendo em mente que tudo ali é intencional. De forma alguma acho cansativo e repetitivo e fiquei tão doida com este anime que the primeira vez vi os 12 seguidinhos. Tanto o anime quanto o OVA estão disponiveis no anitube.jp.

    • Avatar
      José Guilherme 18 janeiro, 2013 at 19:43 Responder

      Eu percebi as referências e que boa parte das saídas do roteiro forma intencionais, mas justamente por se referenciar demais, é que a trama não é original ou memorável. Porém sim, o anime prende a atenção e é um ótimo passatempo.

Deixe uma resposta