Alerta Vermelho #66 - Exterminador do Futuro

Depois de Voltarmos para o Futuro no último cast, agora é hora de irmos ao passado com Exterminador do Futuro.

A franquia criada por James Cameron ganhou seu espaço aqui no Alerta Vermelho e comentamos os quatro filmes já lançados, desta cinessérie que já está gravada na história do cinema.

Aperte play e venha comentar e discutir com Tiago Lamonica, Alexandre Luiz, Wilker Medeiros, Davi Garcia e Filipe Pereira sobre esses  filmes.

Links do Podcast

Links Cine Alerta

Assine nosso feed:

Contato:

Mandem seus e-mails para [email protected], ou comente no post logo abaixo!

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

6 comments

  1. Avatar
    Diogo Watson 28 julho, 2014 at 14:53 Responder

    Como sempre me divirto muito com os podcasts de vcs e esses últimos estão ótimos.

    POr coincidência assisti o T2 faz umas 3 semanas. Sim, ele tem essa mudança de tom bem claro para pegar um público mais amplo. Mas não dá para comparar com, por exemplo, rambo 1 e 2, onde a mudança de tom transforma quase em outro filme ( e não por acaso, outra sequencia em que o James Cameron mete a mão). O tom de T2 é sombrio pacas e vai muito na contramão dos "filmes de verão". E o terror está presente sim. O T-1000 é assustador até hoje.

    Eu vi o T2 no cinema na época do lançamento. Todo mundo mundo sabia que o Schwarzenegger era o mocinho. Não existia internet mas já existia divulgação…e a de T2 foi pesada.

    Sobre a comparação de T2 e Jurrasica Park.. é justo dizer que os dois foram pontos de trancisão (Avatar foi outro) mas a comparação entre cameron e Spilberg não é. Cameron é um engenheiro, trabalha diretamente na manufaturação das tecnologias. É capaz de Avatar ter dado mais lucro no desenvolvimento de patentes e tecnologias do que o próprio filme. O Hulk de os vingadores usa tecnoligia de captura de movimentos derivada de Avatar, por exemplo. Já Spilberg pega o que já está pronto. A tecnologia digital de Jurassic Park já existia e era resultado do desenvolvimento organico que vinha ocorrendo. O filme foi apenas uma grande vitrine.

Deixe uma resposta