Minicast True Detective S02E05

True Detective chegou na segunda metade da temporada com um episódio revelador. Mas será que é suficiente para alguns fãs pararem de reclamar? Apertem o play e venham já ouvir os comentários de Alexandre Luiz, Davi Garcia, Wilker Medeiros e Bruno Costa!

Links do Podcast

Links Cine Alerta

Assine nosso feed:

Contato:

Mandem seus e-mails para [email protected], ou comente no post logo abaixo!

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

4 comments

  1. Avatar
    Cassiano Lima 24 julho, 2015 at 23:23 Responder

    Olá caras,

    Já ouvi muitos cast’s de vocês. Desculpem a minha preguiça pra comentar.

    Acho True Detective uma obra prima. A primeira temporada fui muito na Hype e é uma experiência cinematográfica incrível na TV.

    Fiquei aguardando a segunda temporada ansiosamente e amigos to pilhado. Ta incrível a série. A fotografia, a linguagem noir me fascina.

    Vamos ao elenco principal. Sempre gostei do Colin Farrell, é um ator competente, pena que quase sempre escolhe projetos “equivocados”, pra ser mais educado. A Rachel Mcadams, o que dizer dessa mulher, sou completamente apaixonado por ela. E ela ta ótima na personagem. Nos transmite uma figura que precisa se provar o tempo todo e convive com um peso familiar que não sabemos ainda, mas que deve ser algo muito sério, pois isso interfere na sua relação social o tempo todo.

    Agora vem minha surpresa, moleque desgraçado esse Taylor Kitsch. Na minha opinião o arco mais complicado. Parabéns ao ator, não esperava que ele pudesse segurar essa bronca.

    Amigos, nem vou comentar sobre o Frank(nem sei falar o nome do ator, também não me interessa). É muito canastra. Não passa emoção, nem ameaça nenhuma. Eu juro, se esse cara vem na minha porta me cobrar alguma coisa, eu dou gargalhadas. É patético algumas cenas. Esse é o ponto fraco pra mim da série, mas que também não tira sua genialidade, sua narrativa.

    Não é que eu queira ser mais inteligente do que os outros, to longe disso. Mas True Detective é uma série de nicho.

    Sinceramente não espero um final de serie absurdo, to satisfeito com o que to vendo. Mas, claro, espero resoluções pra todo o caso, só não aceito que venham mastigadas. Gosto de pensa.

    Abraços. Bom Trabalho!

    • Avatar
      Bruno 26 julho, 2015 at 22:33 Responder

      Olá amigos do cine alerta, me chamo Bruno Peternella, descobri o site de vocês depois do minicast de Sons of Anarchy que sou imensamente fã, bom vamos ao episódio. Poxa será q foi somente eu que sentiu falta do bigode do velcoro, um personagem que não era nada e ganhou uma importância pra mim foi o filho do prefeito, pois ele descobre se que ele era melhor amigo do morto.kkkk, bom acho q ele será importante no futuro. Beijos abraços a todos

  2. Avatar
    Carolina 26 julho, 2015 at 14:12 Responder

    Olá amigos do Cinealerta, tudo bem com vocês? Qual a previsão pro próximo episódio, que, pelo amor de Deus, vocês estão acertando TUDO! Estão sendo os True Detectives de toda a trama mesmo.
    Vamos aos meus habituais tópicos, então:
    Viv (como já dito antes, Vince Vaugn): Esse episódio o coloca novamente como o mais risível e pior mafioso-wannabe da história! Ninguém o leva a sério, nem mesmo Velcoro. Até hoje não sei como ele conseguiu juntar a riqueza dele, só pode ter achado em uma esquina, ganho na loto, herdado, sei lá, no crime que não foi. O que o deixa mais medíocre é realmente Viv, já que se fosse um Andy Garcia (sonhar não custa nada) o personagem estaria em excelentes mãos e sendo mais aproveitado. Tem hora que eu acho que Pizzolato vai vir com uma ideia, o matar e aí teremos o verdadeiro mafioso de tudo (no início eu tinha esperança que era a mulher dele. Agora isso já foi pro ralo também).
    Ray: Pobre Ray, o que era ruim, pode ficar pior pra ele, sempre. E que jogo sujo o da ex dele também, de pedir DNA. Cara, ela não sabe mesmo o que quer! Ele mata (mesmo que supostamente) o estuprador dela e ela reclama; o cara não morreu e ela reclama. E essa história de não querer que o filho fique iludido é balela. Pai é quem cria e ponto final. Egoísmo da parte dela querer destruir o relacionamento pai/filho do Ray só por um rancor babaca dela. (E a produção me ouviu e raspou aquele bigode horrendo NO Colin Farrel. Melhor mudar a preposição antes que a Associação do Bigode entre com processo contra mim)
    Ani: Melhor cena da personagem a dela na roda do AA (Abusadores Anônimos)! Eu ria de chorar, especialmente da cara dos outros. Até ali vemos como tudo é machista (como vocês apontaram): homens de todos os lados, ela sozinha e, enquanto os caras falavam o médico deixou eles divagarem; na vez dela, ele a travou. Parabéns, mais uma vez para Rachel Mcadams pelo excelente trabalho com a personagem.
    Paul: Só se ferra, coitado. Realmente, apesar de lindo (como todas as mulheres fazem questão de pontuar em toda a cena que ele aparece, eu inclusa), ele não se dá bem com mulher nenhuma. Temos a mãe (que, Deus, como é escrota. Essa merecia a Richthofen de filha), que o furta e chantageia, a atriz que o acusa de assédio sexual e até a futura sogra mala que não notou a indireta de que não é bem vinda na casa (quando uma pessoa diz que a casa vai ficar apertada, isso significa que ela não te quer por perto). Pra não dizer que ele só se ferra, pelo menos descobriu sobre os diamantes e Dixon.
    E, pra não deixar de fora a melhor cena do episódio: Ray espancando o "Ronaldo Ésper". Ele acabando com a cara plastificada do homem foi o melhor! E a cena dele na frente do Frank foi ótima (e eu também achei que o Frank ia sair voando porta adentro).
    Fico por aqui, beijos e até ao "lendário" episódio da orgia.

    PS.: o único nu da temporada toda foi no primeiro episódio, onde Taylor Kitsch aparece sem roupa. De resto, nada. Extremamente estranho para a HBO, a não ser que eles estejam guardando isso para o próximo episódio.

  3. Avatar
    @pablo_grilo 26 julho, 2015 at 20:18 Responder

    Caros,
    cheguei ao minicast pelo Wilker e foi uma ótima indicação. Acompanho desde o primeiro episódio e o trabalho de vocês com podcasts curtos é bem bacana. Gostaria só de contribuir com essas observações a seguir:
    – discordo de quem falou que as séries da HBO são para serem vistas com um episódio por semana para ir digerindo, por algum problema de memória eu sempre deixo qualquer temporada terminar (ou a série terminar) para ver tudo de uma vez. Só fiz isso com True Detective para realmente evitar spoilers. Não consigo ver nem um por semana (esqueço muita coisa) ou ver 10 num dia (não vou lembrar de nada) e ainda menos aguardar um ano entre as temporadas.
    – o trabalho do Vince Vaughn está ruim, eu gosto dele também, mas ele é o único ali que não está conseguindo imprimir no personagem o que o texto pede.
    – a série tem um problema muito grande que é o excesso de informação: 4 protagonistas com suas sub-tramas e ainda a principal. Fica perdido, pra mim não há defesa nesse caso, faltou foco ao pizzolato nos primeiros episódios.
    – os atores não tem química entre si. Mais uma vez creio que não há defesa nisso, ao contrário de vocês, é problema de direção e atuação, além da falha do Pizzolato como showrunner, porque o roteiro no geral está ok.
    No geral a série está ok, tem me agradado apesar dos pontos negativos. Num geral está 07/10. Concordo com vocês sobre o tom da série, o clima noir, LA Cidade Proibida foi bem lembrado. Continuem assim. Abraços.

Deixe uma resposta