Review: Constantine S01E09 – The Saint of Last Resorts (2)

Constantine - Season 1A segunda parte de The Saint of Last Resorts marca o retorno de Constantine depois de 1 mês de hiato, e continua exatamente de onde parou o episódio anterior, que deixava um gancho angustiante para o fã do seriado. Ou seja, sobrava expectativa para a volta do programa, que havia entregado um exemplar tão bom na primeira metade da trama. Infelizmente, a conclusão fica muito aquém do prometido, resolvendo algumas coisas apressadamente e se apoiando em conveniências para chegar ao desfecho.

Para se livrar do invunche, John conjura Pazuzu (para alegria dos fãs de O Exorcista) e se vê possuído pelo demônio. Assim, cabe a ele agora se livrar da possessão fazendo um auto-exorcismo antes que a criatura se apodere de seu corpo de forma irreversível. É um grande mote para uma aventura, mas talvez não para continuar uma que se mostrou tão importante para a trama central da temporada. Enquanto a primeira parte desvendava mais um pouco a tal Ascensão das Trevas, a segunda mal toca no assunto e quando faz, não passa nenhuma informação que já não seja de conhecimento do espectador. Além disso, a rapidez com que Zed se livra do problema iniciado no episódio anterior quase anula todo o suspense criado sobre sua subtrama. A história precisava da garota ajudando o protagonista, então convenientemente ela escapa de seus captores.

Por falar em conveniências, o episódio parte para uma sequência delas quando John acaba preso em uma penitenciária do México. A cada situação que a trama pede algum desenvolvimento, algo totalmente aleatório acontece, simplesmente porque sem a aparição de um personagem ou outro dentro da prisão a história não iria para frente. Ou seja, não importa o quão estúpida a atitude dos coadjuvantes, desde que essa os leve para junto do protagonista. Constantine precisa de Zed, Chas e Anne Marie para conseguir se exorcizar? Não tem problema, os três vão entrar sem grandes dificuldades. Agora ele precisa sair da prisão para conseguir se livrar da possessão? Também não tem problema, sair será ainda mais fácil. E que soldado do México vê uma mulher desaparecer na sua frente e age como se fosse a coisa mais normal do mundo? E como o trio consegue levar John para Atlanta em menos de 24 horas? Bom, não interessa, a história precisava que isso tudo acontecesse, independente se faria sentido ou não.

O triste é que nitidamente a ideia da prisão deveria refletir a própria situação do personagem principal (e de Anne Marie também, pela natureza da visão de Zed), mas por conta de uma sequência de acontecimentos sem muita inspiração, isso acaba se perdendo, fazendo boa parte do episódio não ter significado algum. No fim, John é preso apenas porque o roteiro precisava preencher o tempo com alguma coisa para a exibição não durar apenas 20 minutos. Assim, quando o exorcismo finalmente acontece, é tudo apressado demais, e aquilo que poderia ter sido o mais interessante do episódio, ou seja, as conseqüências da possessão, com o demônio falando através de Constantine e provocando os personagens, dura menos que 2 minutos.

O que segura a história e mantém o interesse do espectador é a atuação de Matt Ryan, que continua sua excelente caracterização como Constantine, além de entender o que o roteiro exige nas cenas em que Pazuzu assume o controle. Além disso, a atmosfera pesada e sombria criada pela situação da possessão também se torna um trunfo, mas nos quesitos técnicos a série sempre se mostrou competente, ou seja, isso já não é mais destaque, e sim prática comum. No roteiro, as boas idéias estão no uso de heroína para dopar John, o que é bem corajoso, se tratando de uma série de TV aberta e a discussão sobre a fé de Anne Marie, novamente colocando em cheque o que a igreja prega sobre céu e inferno e o que realmente existe no universo do programa.

Constantine - Season 1

Com o desfecho não fazendo jus à ótima primeira parte, a série dá uma tropeçada pelo caminho que parecia livre para boas tramas. Se a subplot de Zed tivesse continuado da forma que deveria, o próximo episódio teria uma situação bem interessante pela frente e toda a história da garota poderia se resolver antes do final da temporada, que cada vez mais parece ser a primeira e única que o seriado terá. Mas, como optou pela solução mais fácil, fica a pergunta: até quando os roteiristas irão segurar esse mistério? Faltando apenas 4 episódios para o fim, tomara que isso não fique pendente, pelo menos para dar uma conclusão a alguma coisa caso o cancelamento seja confirmado. E para que, se uma segunda temporada aconteça, não fique focada em subtramas que possam cansar o público.

ReproduzirReproduzir
Alexandre Luiz

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta