Review: Arrow S01E04 - An Innocent Man

Começando a partir do ponto deixado em aberto no episódio passado, Arrow mostra Oliver tentando convencer seu segurança Diggle a se unir à sua causa para "salvar a cidade". O problema é que o ex-soldado não acha certo o que seu patrão bilionário faz e no dia seguinte pede demissão do cargo. Foi uma boa maneira de começar o episódio, já que deu mais espaço para ambos personagens pensarem melhor na ideia. Queen está bem certo do que quer, mesmo que sua mãe já tenha encontrado um segurança substituto (que passa maus bocados nas mãos do playboy, servindo como o alívio cômico já que Merlyn não apareceu essa semana). Diggle tem suas dúvidas e por mais que negue, entende que Starling City está dominada por poderosos que não se importam com seus habitantes. Será que ele se tornará o sidekick do Arqueiro? Bom, isso só nas próximas semanas mas o relacionamento de ambos deve ser bem mais interessante do que simples companheiros de aventura. Como ficou bem claro nos três episódios iniciais, o vigilante não sente remorso por matar qualquer capanga. Esse é um dos pontos que Diggle deve intervir, mostrando pro Arqueiro que ele não é um assassino, independente do que precisou fazer para sobreviver à ilha (e ao menos dessa vez os flashbacks tiveram um propósito pra trama ao desenvolver justamente essa questão).

O caso da semana não envolveu nenhum supervilão da DC dessa vez, mas sim outro nome da lista de Oliver. O interessante é que o herói tem de salvar a vida de um homem condenado injustamente. O caso passa batido e Queen só se interessa pela questão quando descobre o possível envolvimento de alguém que está marcado pela caderneta de seu pai. Isso pode levar futuramente a um outro ponto: para salvar a cidade, o Arqueiro não pode ficar preso a uma vingança baseada apenas em punir os poderosos quando pessoas menos favorecidas precisam da atenção de um "anjo da guarda" (e lutar pelas classes oprimidas é uma das características do personagem nos quadrinhos, por conta da memorável fase escrita por Dennis O'Neil). Também a respeito do caso da semana, há novamente a lembrança de Batman Begins e da relação Batman/Rachel Dawes, levando inclusive a cenas bem semelhantes com o Arqueiro entregando um arquivo para Laurel tentar impedir a execução do homem inocente do título. Aliás, um pequeno descuido dos roteiristas. Depois da futura Canário mostrar grande habilidade em artes marciais na semana passada, aqui ela é subjugada sem a menor dificuldade por um capanga. Mesmo o homem sendo bem maior que ela, não justifica o ocorrido, uma vez que tamanho não importa pra quem tem o mínimo de conhecimento em alguma forma de luta (e depois do que ela faz com o dono da boate no episódio 3, fica claro que suas habilidades não são nada restritas).

Houve uma evolução neste quarto episódio quanto ao desfecho, longe da correria pra acabar presente nos anteriores, que já estava causando certo incômodo. Por outro lado, as cenas de ação empalideceram em relação ao que foi visto nas últimas semanas. Talvez pela falta de um vilão que oferecesse algum desafio físico ao Arqueiro. Tomara que isso não signifique que uma das melhores atrações de Arrow comece a ser deixada de lado. No quesito "easter egg" para os fãs de quadrinhos, há uma menção à Bludhaven, a cidade de atuação do Asa Noturna. Será que isso abre a oportunidade de uma participação futura do Dick Grayson? Seria deveras interessante se acontecesse.

No núcleo Queen-Steele, alguns desenvolvimentos relevantes. O personagem de Colin Salmon acaba descobrindo que sua mulher, a viúva de Robert Queen, tem alguns esqueletos no armário (ou destroços no galpão). Como Steele é um vilão nos quadrinhos, dificilmente sua descoberta leve a alguma ação altruísta como denunciar Moira. Interessante notar como cada um tem seus próprios planos, mas a Sra. Queen parece ter mais recursos, já que está envolvida na organização que se tornou alvo de Oliver graças à lista de seu pai. Aliás, esta semana marca a estreia do ator John Barrowman, que parece interpretar o líder da tal facção e que deve surgir mais no futuro.

Ao final, mais um gancho bem montado para o próximo episódio. A dinâmica da série parece estar com tudo sempre em movimento, o que deve ajudar Oliver e o Arqueiro a evoluírem com o tempo, algo que sempre marcou as HQs do personagem.

Alexandre Luiz

Comente pelo Facebook

Comentários

5 comments

  1. Avatar
    José Guilherme 6 novembro, 2012 at 03:58 Responder

    Achei esse o episódio mais fraco até aqui. Acho que foi pela falta de uma sequência marcante ou mesmo algum diálogo envolvente. Acho bom das tuas reviews Alex, pois tu sempre dá um feedback legal para quem só conheceu o arqueiro por Smallville ou mesmo em alguns episódios especiais da Liga da Justiça. Ter uma base fiel de easter eggs é sempre bom.
    Me incomodou também a rapidez de algumas cenas. Teve uns cortes rápidos demais, mas semana que vem temos novidade da DC na série e em dose dupla não é mesmo?

Deixe uma resposta