Review: The Walking Dead – 4x04/4x05 Indifference/Internment

E chega ao fim a quadrilogia dos “i” em The Walking Dead. Iniciada logo após a descoberta da infecção que assolou a prisão no segundo episódio, o exercício narrativo de uma coerência quase cirúrgica que moldou as lutas pessoais de cada um dos personagens principais da série, foi palco para o que já pode ser tido como os momentos mais sinceros do show desde a sua estreia. Tivemos os sobreviventes da ricktatorship no ápice dos dilemas morais que se espera de uma trama construída sobre os alicerces de uma sociedade tão penosa quanto o caminhar dos walkers, além de atuações monstruosas dos serenos Scott Wilson e Melissa McBride, o primeiro sendo a bússola moral num verdadeiro campo eletromagnético de caos, ao dar a Hershel o que se espera do último homem de fé restante, e a segunda, emocionando ao ressaltar o oposto, com uma pragmática, humana e necessária Carol.

Se Indifference só encontra problemas quando insiste em dar um tempo desnecessário de tela aos dispensáveis Tyresse e Bob – notem que nem dividindo diálogos elegantes com Michonne e Daryl, eles conseguem funcionar –, o oposto ocorre quando a segunda expedição do episódio toma parte da narrativa. A busca de Rick e Carol por alimentos conseguiu criar uma sombria expectativa que por minutos chegava a ser sufocante. Não sei se eram os olhares incrédulos que o xerife dava para ela ao perceber que nem de longe ela lembrava aquela mulher submissa ao marido abusivo, ou mesmo a que se isolou durante o desaparecimento da filha, mas o fato é que a todo instante eu esperei uma explosão mais violenta de Rick contra a confissão que Carol tinha feito.

Usando da presença de dois jovens que assim como a mulher da première, necessitavam do escrutínio de Rick para serem levados até a prisão, fez-se um paralelo soberbo sobre a atual situação de Carol. Não existem elogios suficientes para performance de Melissa McBride ao fazer sua personagem mostrar sem mágoas que superou todas as perdas pelas quais passou sendo apenas realista. Foi igualmente impressionante, a força com que ela joga na cara de Rick (Andrew Lincoln dispensando comentários outra vez), o quão semelhante foi sua decisão de matar Karen e David, com o fim dado a Shane pelo xerife. Aposto também, que o nó na garganta no momento em que Rick decreta o exílio de Carol, foi comum a boa parte dos telespectadores. Palmas lentas para trilha de Bear McCreary, que se inseriu de forma tão orgânica quanto choro controlado de Rick, ao partir de volta à prisão.

Se deixamos a prisão em ponto de ebulição com a infecção, o retorno para mesma foi quase uma chegada em um campo de concentração de carcaças humanas. Internment deu a justa continuidade para frente tomada por Hershel, ao tentar impedir que os infectados morressem como porcos no isolamento, se arriscando a tornar-se um deles. O episódio foi sem sombra de dúvidas um dos momentos mais tensos da história de The Walking Dead e se sustentou na brilhante direção de David Boyd, que segurou com firmeza, os vinte minutos de pura adrenalina que foram os ataques de dentro e de fora da prisão. Scott Wilson e seu jeitão de bom velhinho emocionaram em cada um dos seus diálogos nos deixando atônitos ao mostrar pela primeira vez que Hershel aprendeu outras formas de lidar com o apocalipse, que não envolvam tratar walkers como criaturas passíveis de cura.

Foram impactantes sequências de ação com um gore tão palpável quanto o desespero na correria de Maggie, Rick e Carl para manter as defesas do lugar e salvar os que ainda tinham uma chance. Empolgando até os mais descrentes, esta quarta temporada já reserva para si um importante feito: The Walking Dead conseguiu sem pretensões ser uma série de zumbis sobre pessoas e isto meus caros, é o mais chocante de tudo.

P.S.: Épico o momento em que Rick e Carl se juntam para metralhar os zumbis. De arrepiar qualquer um.

P.S.2: Tenho certeza que Hershel não aprovou o exílio de Carol e mais certeza de que Rick vai penar quando o Daryl descobrir.

P.S.3: Ele voltou! O Governador bate a porta da prisão e espero que dessa vez ele realmente faça jus ao alarde feito.

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

2 comments

Deixe uma resposta