Minicast Game of Thrones S05E06

Estamos de volta para mais um Minicast de Game of Thrones e dessa vez para comentar o episódio mais polêmico da temporada. Aperte o play e venha conferir o que o Alexandre Luiz, o Warley Bonanno e o Davi Garcia tem a dizer sobre a nova controvérsia gerada pela adaptação da obra de George R.R. Martin!

Links do Podcast

Links Cine Alerta

Assine nosso feed:

Contato:

Mandem seus e-mails para [email protected], ou comente no post logo abaixo!

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

14 comments

  1. Avatar
    Allan Veríssimo 22 maio, 2015 at 02:05 Responder

    Parabéns pelo minicast. De minha parte achei essa 5×06 o episódio mais fraco da temporada até o momento, embora isso não signifique que tenha sido ruim. Gostei muito das cenas envolvendo os núcleos da Arya, do Tyrion e do Jorah e de Porto Real. Me parece que a partir de agora, a temporada entrará na sua reta final: Arya ganhará um novo rosto, Tyrion e Jorah estão se aproximando de Meereen, e em Porto Real, o embate da Cersei com os Tyrells deve atingir o seu ponto decisivo.

    Por outro lado, o núcleo de Dorne foi risível. Já é absurdo Jaime e Bronn irem raptar a Mrycella no mesmo instante em que as Serpentes de Areia entram em cena, e a coreografia pavorosa daquela sequência de ação só piorou tudo. E não sei se a culpa é das atrizes ou do roteiro, mas as Serpentes não estão me convencendo. Vamos ver se eles redimem esse núcleo nos quatro episódios finais.

    E chegamos à Sansa. Por mais que a cena tenha sido bem realizada, do ponto de vista técnico e das atuações, eu tenho sérios problemas com a cena. A principal delas é que ela prejudica gravemente o arco da personagem (do meu ponto de vista): nesses últimos cinco anos, vimos a personagem se transformar de uma garota ingênua e sonhadora numa mulher endurecida, amargurada por tudo que lhe aconteceu, e que aprendeu a ser forte e manipuladora para sobreviver. Exemplos disso podem ser vistos quando ela mentia para os Lannisters e na sequência em que ela engana os Senhores do Vale na S4. E agora, com essa cena, Sansa volta ao papel de vítima nas mãos de um sádico. Eu espero que a personagem se torne mais forte e assuma o controle da situação, conspirando contra os Boltons, mas eu sinceramente não acho que a personagem precisava passar por mais uma tragédia para tomar essa decisão.

    E eu sei que só estamos falando da série, mas há de ser mencionado que nos livros, quem é forçada a se casar com Ramsay é Jeyne Poole, amiga de infância de Sansa que teve o pai assassinado pelos Lannisters e foi forçada por Mindinho a viver anos trabalhando em um de seus bordéis. Nos livros, ela já é uma garota quebrada e traumatizada antes mesmo de se casar, e também é violentada por Ramsay em situações ainda mais repugnantes. Vemos toda a história dela através dos capítulos POV do Theon, mas aqui eu faço a seguinte pergunta: faz sentido trocar a Jeyne pela Sansa na série, considerando que as personagens são bastante diferentes uma da outra?

  2. Avatar
    Taylor 22 maio, 2015 at 11:43 Responder

    Olá Galera do cine alerta. Primeiramente tenho que dizer como acho engraçado que na maioria das vezes a opinião de vocês sobre GOT é bem diferente da minha, mas acho interessante ouvir vocês sempre porque algumas vezes me abrem os olhos sobre situações que deixei passar e principalmente porque vocês falam com uma propriedade sobre os vários aspectos, que me deixa até com vergonha de não perceber certos pontos. Admiro muito o trabalho de vocês, seja nos minicasts ou nos casts normais e sempre busco seu posicionamento, mesmo que contrário, porque é sempre bom repensar as coisas.

    Quanto à temporada, não acho que esteja ruim e até gosto da parte "psicológica" do jogo dos tronos e nisso a série sempre foi excelente. A questão, pra mim, é que depois da quarta temporada, na qual tivemos uma mistura de psicológico com ação, eu particularmente sempre tenho aquela sensação de que faltou algo no episódio. A quinta temporada me pareceu, até o quarto episódio, apenas um bocado de preparação mas sem resultados, tanto é que só me empolguei após o quinto episódio.

    Falando em opiniões em gostei de quase tudo do episódio 6, com exceção logicamente da trama de "Dorme" , brilhantemente definida por vocês. Eu brigando de power rangers com meus irmãos na infância tinha mais coreografia do que aquilo. E o timing de coincidencias, as serpentes (que vão precisar melhorar muito pra justiificarem sua aparição nessa temporada), enfim muito ruim. Mas gostei da aparição do mercador de pintos só pelo fato de acelerar o encontro de Tyrion com Dilmerys. Arya voltou a me empolgar com a sua entrada na casa de Mascara da Morte de Câncer, porque sim até o momento estava arrastado essa história de tô pronta x não tô pronta.

    Por último, eu vi tantos questionamentos sobre a polêmica cena, que fiquei na dúvida sobre qual foi o maior debate:
    – foi estupro ou não foi: acho que não há duvidas de que não foi consensual aquilo
    – a mudança em relação ao livro: isso pra mim não altera a polemica, pois continua sendo estupro, a personagem tendo relevância ou não.
    – a degeneração do feminino, pelo fato de mostrar novamente uma mulher sendo estuprada e deixando entender que isso é necessário pra uma mudança de comportamento
    – a gratuidade disso pela HBO,

    Acho que me estendi demais mas tirando o choque na cena em si, não vi motivo algum pra todo esse burburinho, principalmente porque ainda não vimos as consequências disso, então não dá pra sofrer de véspera.

    Continuem com os casts sensacionais e abraços a todos

  3. Avatar
    jean alves 22 maio, 2015 at 12:46 Responder

    Precisamos falar sobre estupro:

    Há um texto que resume bem o que eu penso sobre a tal polêmica do último episódio, mas para quem tem pouco tempo ( ou preguiça de lê-lo inteiro), vou reproduzir a parte que mais importa para mim:

    "Theon é “convidado” para acompanhar Ramsay e Jeyne( no livro não é Sansa quem se casa com Ramsay, mas sim uma de suas amigas de Winterfell se passando por Arya) até seus aposentos, onde seu Senhor pede que ele corte o vestido da jovem e a deixe nua, revelando já sinais de abusos físicos em seu corpo que ela murmura terem sido parte de seu “treinamento” (causados por Mindinho – ou por ordens dele – para “torna-la” Arya Stark). Ramsay então ordena que Theon a violente, para logo depois ele poder fazer o mesmo. “Fedor”, como sempre, obedece a seu Mestre.

    Jeyne Poole então fica famosa em Winterfell pelas suas marcas de abuso físico e pelo seu eterno lamento em forma de choro que ecoa pelos corredores do castelo.

    Mais um longo período sem sabermos da jovem, até que finalmente uma tentativa de resgate é feita para “Arya Stark”, liderada por Mance Rayder (sim, o próprio) na companhia de um pequeno exército composto em sua maioria de mulheres livres (ou selvagens, como preferir). A tentativa falha e Mance é aprisionado. Todas as mulheres em seu exército são esfoladas vivas por Ramsay e suas peles são dadas de presente para o prisioneiro como “roupas” para ele se proteger do frio do Norte."

    Aqui já vemos o quanto Ramsay é "menos pior" que nos livros, mas vamos prosseguir:

    "Theon eventualmente ajuda na fuga de Jeyne, que a princípio, de tão atormentada e ferida com as torturas e estupros de Ramsay Bolton, se nega a deixar Winterfell, alegando que “ama [Ramsay] e que ficaria com ele”, que “Theon não precisava testá-la” e que “ela se deitaria com o cachorro novamente caso ele [Ramsay] quisesse” e que ela jamais fugiria então “não precisava lhe cortar os pés”.

    E segue:

    O ocorrido movimentou fãs do mundo inteiro em abandonar (ou ao menos proclamarem abandonar) a série. Alguns deles, nunca leram os livros, apenas não aguentam mais ver tanta coisa ruim acontecendo a personagens que eles gostam, seja este homem ou mulher. E, sinceramente, é algo a se respeitar e compreensível. Mas agora é que as coisas ficam confusas: alguns desses fãs, na verdade, leram os livros. Eles conhecem Jeyne Poole e sua história, mas decidiram que, por se tratar de Sansa sendo estuprada e não Jeyne, essa foi a última gota. Ainda é estranho, mas é cabível. Afinal, tem gente que prefere os livros como eles são e desejavam que tudo se mantivesse como o original. Compreensível. Dito isso, existem “fãs” dos livros à torto e a direito e em grandes portais a cerca de “Game of Thrones” no Brasil e no mundo criticando a série por ser, e estou parafraseando, “misógina” e que “a obra de George R. R. Martin era melhor em retratar as mulheres como indivíduos e protagonistas e não somente meros objetos”. Oras, como podem ver, Jeyne Poole seria a primeira a discordar dessa afirmação, com outras como Lollys e as companheiras de Mance Rayder não muito atrás, quem dirá as filhas de Craster, cuja maioria deve estar morta a essa altura (não que alguém ligue).

    No fim das contas, aqueles que querem parar de ver a série “Game of Thrones” por conta do estupro de Sansa, tudo bem. É um direito de cada um e é até, como já dito, totalmente entendível. Mas àqueles que querem parar de ver “Game of Thrones” enquanto enaltecem o quanto as mulheres são “melhores representadas nos livros de George R. R. Martin”, isso não passa de pura hipocrisia. Sansa é um personagem principal e tem um envolvimento muito maior com o público, caso Jeyne Poole estivesse em seu lugar (e ela está, nos livros) não ouviríamos nem metade. Como ela pode ser “uma mulher bem representada”, sendo uma eterna vítima e sem qualquer tipo de protagonismo se comparada a Sansa passando pela mesma situação? Ao menos para Sansa, com seu status de personagem principal, será dada uma oportunidade de crescer e lidar com o evento na série. À Jeyne dos livros? Jamais. Ela terá sorte se for sequer mencionada de novo."

    E o texto termina:

    "Encerro aqui com um comentário que li pela internet em resposta a um desses posts “misóginos” de leitores “fãs” dos livros que clamam por mais semelhanças com a obra de Martin: “Parem com os estupros em Game of Thrones! Sigam os livros! Não estuprem Sansa, estuprem Jeyne!”."

    A se pensar…

  4. Avatar
    jean alves 22 maio, 2015 at 12:46 Responder

    Sobre a pergunta de vocês sobre a melhor temporada da série:

    Gosto mais da quarta, embora ela esteja deturpando o senso crítico de muita gente. GOT sempre teve o ritmo desacelerado, as tramas sempre se sobrepunham aos poucos até culminar em algo grande…

    A temporada passada adaptou o clímax de toda a saga até agora. o Tormenta de Espadas é um livro de tirar o fôlego e isso aconteceu na tv também… Analisando a quinta temporada como narrativa eu acho uma das mais bem desenvolvidas ( tirando Dorne)… Pela primeira vez os núcleos estão conversando entre si nos temas.

    Se a temporada passada não existisse, a atual com certeza estaria entre as melhores na cabeça dos fãs, o problema é que parte da audiência quer sangue e reviravolta o tempo todo enquanto a outra pede por fidelidade com os livros e cumprir as duas exigências é impossível.

    Talvez por eu apreciar tanto a discussão política além dos outros aspectos, isso me faça gostar mais da quinta que das anteriores, além do desafio. A Daenarys era o maior deles , porque ela se tornou a queridinha do público ano passado, a que mais atraia novos espectadores e nos livros estava se aproximando a "queda" dela. Foi corajoso a HBO adaptar as burradas e erros cometidos pela rainha dos dragões em detrimento da imensa fã-base da personagem, o problema é que tem gente apontando isso como algo simplesmente chato, quando é absolutamente realista.

    Levando em conta que a sexta temporada será gravada ainda esse ano, significa que os roteiros já estão em fase de desenvolvimento… Enquanto isso, nem sinal do Ventos do Inverno, o que me leva a seguinte constatação: TUDO no ano que vem será inédito para todo mundo, o que pode ser um desastre ( caso os produtores não saibam seguir a história de forma coerente sem o respaldo do material de origem ), ou será incrível, vide que não vai haver motivos para mimimi de mudanças e essa liberdade pode evoluir a trama de vez.

    Parabéns pelos podcasts, abraços!

  5. Avatar
    Priscilla 22 maio, 2015 at 16:23 Responder

    Complementando o comentário de um ouvinte, lido no podcast anterior :
    O último volume também já tem título provisório, A DREAM OF SPRING. http://awoiaf.westeros.org/index.php/A_Dream_of_S
    O inverno mal chegou no sexto volume, e no sétimo já estamos na primavera …
    Não vou comentar GoT pois sou do time dos chatos que acham o livro melhor – Principalmente nesta temporada …
    [ ]s

  6. Avatar
    Maria Fernanda Parecis 22 maio, 2015 at 16:39 Responder

    Faz tanto tempo que eu não comento aqui, que eu já estava até com saudades!

    Episódio polêmico e sem graça ao mesmo tempo. Eu diria que foi o mais chatinho até agora. Se essa temporada tem um mérito até agora é principalmente diminuir o tempo das viagens. Deus abençoe o funcionário da CVC que vende passagem pro Mindinho. Se fosse em outras épocas ele e a Sansa não teriam nem chegado em Winterfell.

    Eu fiquei tão decepcionada com as cenas em Dorne. Eu não leio os livros, mas todo leitor que eu conheço me diz que as serpentes são PHODAS. Ficaram devendo! Eu com um cortador de unha na mão faço mais estrago do que aquele povo com chicote e espada. Se aquela lança não estiver envenenada e o Bronn não morrer por conta do ferimento o Oberyn vai se remoer na tumba.

    Em tão pouco tempo a Cersei fez tanta merda que espero que ela se foda muito por isso. No final da temporada passada os Lannisters tinham os Tyrell como aliados (e olha que eles nem são tão confiáveis assim). Ela destruiu essa aliança e deu muito poder para duas pessoas que ela não pode controlar.
    A única coisa que se pode esperar do Mindinho é que ele será um filho da puta. O Papa Francisco (não lembro o nome dele) e a bancada evangélica mostraram que são indiferentes em relação ao poder e a política. Se todo mundo que curte uma putaria nessa série for preso a temporada vai acabar por falta de personagem.
    Se essa vibe de purificar King's Landing continuar uma mulher que engravidou 3 vezes do irmão, transou com o primo e mandou matar o marido não vai acabar bem. Todo mundo tem teto de vidro, mas a Cersei mora numa estufa.

    Não dá pra ignorar a polêmica do episódio. Tenho que concordar com o que vocês disseram. Se você vê uma cena de estupro e não se incomoda tem alguma coisa muito errada com você. Ao longo de GOT muitas mulheres sofreram tantos tipos de violência que é até difícil lembrar. Todas elas me incomodaram de mais. Não sei porque o que aconteceu com a Sansa causa mais impacto do que quando a Daenerys foi estuprada pelo Drogo em condições muito parecidas com a cena do último episódio, a Cersei ou as prostitutas que foram agredidas pelo Joffrey e a que foi assassinada. Sinceramente espero que isso não tenha acontecido só para chocar.

  7. Avatar
    Lukas 23 maio, 2015 at 00:21 Responder

    Fala pessoal! Com certeza esse é o melhor minicast de Game of Thrones porque além de vocês analisarem o episódio, vocês sempre o contextualizam nos dias de hoje e tornam os episódios ainda mais memoráveis, parabéns por isso.

    Vou contar agora pra vocês como no livro as coisas são bem diferentes em Porto Real do que na série, e que eu acho que vão deixar vocês chocados, não só pela ausência do Loras na trama como mencionaram, como também por várias outras coisas bem polêmicas que podia ter tido nessa temporada.

    No livro acontece mais ou menos assim: A Cersei começa um relacionamento lésbico com uma mulher que é esposa de um dos vassalos dos Tyrell, e nisso, ela começa a ter informações secretas sobre a Margaery, descobrindo que ela e as primas que apareceram no segundo episódio dessa temporada aparentemente estariam se relacionando com outros homens em ORGIAS (É isso mesmo!), ai a Cersei chamou o irmão mais novo daquele cara da Guarda Real que matou o professor de dança da Arya, e o mandou seduzir a Margaery para depois eles poderem incriminá-la por adultério. (E a Cersei também acaba dormindo com esse cara no processo pra convencê-lo a ajudá-la).

    Ai um tempo depois, a Cersei manda esse irmão do guarda confessar ter ficado com a Margaery ao "Alto Pardal", e com isso, de uma maneira muito mais discreta, a Cersei faz com que a Margaery seja presa pela Fé de maneira que não parecesse tão claramente que a Cersei estava por trás de tudo pros outros.

    Isso tudo pra vocês verem como a série está de fato se distanciando dos livros, e em alguns casos eu estou ficando preocupado, como o núcleo de Dorne, onde não tem nem o Jamie e nem o Bronn, e que nesse episódio com aquela cena ridícula de tentativa de resgate da Myrcella ficou claro que nem tudo que eles estão inovando está saindo melhor que nos livros.

    SOBRE O ESTUPRO: Tudo bem que uma cena de estupro é sempre pesada, mas eu acho que as pessoas estão exagerando muito, porque se esquecem que essa série retrata uma época em que casamentos eram arranjados e que muitas vezes as mulheres eram forçadas contra a vontade delas para consumar o casamento. E a partir do momento em que foi revelado que a Sansa casaria com o Ramsay, que é pior que o Joffrey, tava na cara como seriam as núpcias…

    Abraços à todos e espero que continuem sempre com esses ótimos minicasts!

  8. Avatar
    @viny_santista 24 maio, 2015 at 12:52 Responder

    Parabéns por mais um minicast!

    Sobre esta temporada, ainda estou achando ela no mesmo nível da 2ª, que foi a mais fraca. Acho que os motivos para isso é que o Tyrion está só andando em cada episódio, sem de fato fazer nada e o núcleo de Dorne/ Jaime e Bronn, está horrível, e isso acaba refletindo na qualidade do episódio.
    Eu sei que depois dos acontecimentos/mortes da temporada passada, a série precisa meio que se "restruturar" e isso reflete na minha sensação que está faltando alguma coisa..

    Sobre os estupro, achei a cena forte e comovente (a cara do Theon me representa), e considero a construção da cena bem feita, sem ser apelativa, conseguiu chocar as pessoas.
    A maioria das pessoas que estão criticando a cena, não estão criticando o estupro em si, mas só pq foi com a Sansa, quer dizer qualquer outra mulher pode e já vi diversas criticas só dirigidas para a série dizendo que os produtores são machistas, misóginos, então o George R.R. Martin pode escrever cenas de estupros e abusos à vontade, que O.K., já se a série maneira nas cenas descritas e passa para outro personagem, é considerado uma abominação.

    Vou esperar os próximos episódios para ver como eles desenvolverão esse plot, para ver se foi ou não desnecessário a cena..

  9. Avatar
    @diogowatson 27 maio, 2015 at 21:49 Responder

    A temporada está absolutamente sonífera até agora. (enquanto escrevo isto já assisti o 7, provavelmente o melhor até agora e me reanimou). Claro, a série sempre teve um ritmo lento e reclamar disso e desconsiderar todas as outra temporadas. Mas ela sempre um sentindo de urgência, de uma tensão que ia se construindo aos poucos até chegar no climax. Vimos isso muito claramente na primeira e segunda temporadas.

Deixe uma resposta