Review: Glee – 4x15 Girls (and Boys) on Film

Aos amantes do cinema, uma sempre bem-vinda homenagem. Claro que só existia uma chance em mil onde eu não gostasse deste episódio de Glee, e minha reação a ele ficou entre as 999. Desde a setlist anunciada, meu coração de cinéfilo demonstrou uma certa ansiedade. Muitos dos filmes que eu gosto receberiam menções através de suas principais canções e, felizmente, a temática casou perfeitamente com todos os dramas cômicos (ou não) que vimos. Engraçado é ver que Will retornou com um tema aparentemente ocasional, mas que na verdade reflete a forma com que ele vem tratando o abandono por parte de Emma.

Mesmo sendo um dos poucos filmes que não vi, a interpretação onírica de You're All the World to Me arrancou sorrisos pelo cuidado da produção em reconstruir com perfeição a cena clássica de Fred Astaire em Royal Wedding. Essa foi a deixa para Will trazer a icônica disputa de mash-up com uma pegada toda cinematográfica. Artie também deixou bem claro que o prêmio dessa vez seria uma participação exclusiva no seu novo curta. As reações ao anúncio da semana vêm com uma onda de referências que foi desde o oscarizado O Artista (ri alto) às desesperadas imitações de Nicolas Cage.

Eu nem sabia que o núcleo de NY ganharia espaço no especial, e confesso que fiquei com medo da ligação aos eventos em Lima soar forçada, porém, a presença de Santana apagou qualquer dúvida. A bitch mais amada da série foi dona das melhores piadas e verdades. Presa no cafofo Kurchel com aspirantes a artista, Santana queimou todo mundo com sua pontualidade ácida. Chamar o paquera do Kurt de Doctor Who enquanto mentalmente ela estava se sentindo num filme canibal gay do cineasta gore Eli Roth, foi só o começo do que ela nos trouxe. Já desconfiando dos enjoos de Rachel, ela tentou através de indiretas trazer a verdade da amiga, mas foi cortada pelo momento Moulin Rouge de Kurt.

Antes da homenagem ao meu musical favorito, a música de número 500 foi executada com uma energia contagiante, mas Shout nem de longe seria minha escolha para levar o título. Mesmo que muita gente não concorde, até a versão de Come What May era mais significativa.

Aqui eu coloco mais um elogio às cabeças de Glee. Tenho mais ou menos a opinião de Kurt sobre a canção de Christian e Satine,e aquele telhado estrelado se encaixou brilhantemente ao espírito de Moulin Rouge. As caras de desespero de Santana diante de tanta pieguice foi outro momento impagável, somado mais uma vez a sua nova revelação sobre práticas de investigação nas casas alheias. Eu achava que o Brody seria miché, não um traficante, foi um boom na minha cara.

Como Shout não foi mash-up coisíssima nenhuma, a competição teve de acontecer e cá para nós, fica difícil escolher, pois tanto os garotos quanto as garotas estavam on fire. Old Time Rock and Roll/Danger Zone foi uma ode ao início de carreira do astro Tom Cruise enquanto Diamonds Are a Girl's Best Friend/Material Girl trouxe Unique como uma Marilyn Monroe para ninguém botar defeito (vê isso aí Smash). Eu me empolguei e cantarolei junto, e minha decisão seria a que foi tomada o fim da disputa.

Os desdobramentos românticos do episódio foram um tanto quanto sonolentos e, pelo menos para mim, o que afasta ele da nota máxima. Will e Emma são um dos casais mais antigos da série, e mesmo que tenha sido válida a versão de In Your Eye seu cortaria ela fácil, para evitar aquele mimimi tão repetitivo. Já o momento bem colocado, onde Unchained Melody coube perfeitamente aos sentimentos de Marley para com Jake e Ryder (a rima visual com Ghost foi genial na especificação dos papéis), ainda que seja Jogos Vorazes o filme de romance que ela mais gosta, teria sido melhor se já não tivéssemos tido tantas músicas.

Na mesma leva de deixar bons ganchos (estou gostando de ver isso na série), o choro de Rachel diante do resultado do teste de gravidez foi o que mais me emocionou. Amizades também vão sofrer um abalo impressionante, pois Finn contou do beijo para Will e Ryder e Jake estarão na disputa por Marley sem o lance de respeitar a amizade. Se os próximos episódios não tiverem regras, como a letra da minha queridinha Footloose prega, podem se preparar que vem coisa boa por aí.

Gleeks gonna gleeks: Santana e a carreira de cocaína imaginária! Quão engraçada a cena foi?

Gleeks gonna gleeks [2]: Aquele velho pedido: mais Unique, por favor.

Músicas do Episódio:

You're All the World to Me (Royal Wedding) – Emma e Will

Shout (The Isley Brothers) – Blaine e Brittany

Come What May (Moulin Rouge – Amor emVermelho) – Blaine e Kurt

Old Time Rock and Roll/Danger Zone (Bob Seger / Kenny Loggins) – Garotos do New Directions

Diamonds Are a Girl's Best Friend/Material Girl (Gentlemen Prefer Blondes / Madonna) – Garotas do New Directions

In Your Eyes (Peter Gabriel) – Will e o New Directions

Unchained Melody (The Righteous Brothers) – Jake e Ryder

Footloose (Kenny Loggins) – New Directions

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta