Alerta Dicas #09

Quer saber o que nossa equipe separou para recomendar essa semana? Confira logo abaixo e se prepare para passar um bom tempo conferindo essas ótimas dicas!

alexandre

Zero YearBatman Zero Year: Confesso que torci o nariz quando a DC anunciou essa saga, que contemplaria um dos títulos mensais do Batman. Mesmo com o reboot denominado Novos 52, era mesmo necessário recontar a origem de um dos personagens mais populares da editora, principalmente um cujo primeiro ano de aventuras fora tão bem abordado por Frank Miller no que se tornou uma das histórias mais importantes e emblemáticas do Homem-Morcego? Soma-se a isso o fato de que a saga deverá durar 12 meses, minhas esperanças não eram as melhores. Mas o fato é que Scott Snyder e Greg Capullo estão fazendo um trabalho excelente, lotado de referências que os fãs mais antigos irão pegar e até os mais novos, que só conhecem o Batman pelos recentes filmes do Christopher Nolan, devem reconhecer. Você percebe que estão fazendo o dever de casa quando em determinado momento o Morcegão aparece usando luvas roxas ou quando pequenos símbolos começam a surgir nas páginas, como um R estilizado que no futuro se tornará a marca do Robin. O primeiro arco, que mostra a origem do herói, ao mesmo tempo em que a gangue do Capuz Vermelho inferniza Gotham, toma por base uma estrutura semelhante a de Batman Begins, por exemplo, com o leitor se familiarizando primeiro com Bruce Wayne sem sentir falta da capa e da máscara do herói noturno. É uma leitura ágil que leva a ótimas sequências, principalmente com a batalha final contra o vilão, que culmina na origem clássica do Coringa, mas com algumas liberdades que parecem ter saído de uma (boa) adaptação cinematográfica. Fiquem ligados que a série deve se iniciar em breve em um dos títulos do Batman publicados pela Panini no Brasil. Vale a pena conferir.

warley

batman-aa-coverBatman Arkham Asylum e Arkham City: Apesar de serem jogos mais antigos, vale muito a pena serem jogados, tanto por fãs do Homem-Morcego, que irão delirar com as referências e personagens do universo DC, quanto para os não fãs, já que os games são excepcionais. Arkham Asylum começa com o Coringa sendo preso pelo nosso protagonista, porém ele se deixou ser pego como parte de um plano para criar um exército de criaturas Bane. A partir disso Batman tem que investigar, lutar e usar seu arsenal riquíssimo em gadgets para impedir o vilão de concluir seus planos. A história tem várias nuances e faz jus ao personagem, mas isso não chega a ser novidade, uma vez que o roteiro é escrito pelo excelente Paul Dini (Batman: The Animated Series). Junto a história principal temos o Charada, que propõe os mais diversos desafios para o Homem-Morcego, como achar troféus escondidos e responder charadas que são referências ao universo do personagem, o que enriquece ainda mais o jogo.  Se a trama de Arkham Asylum já é muito boa a de Arkham City consegue superá-la ao utilizar os mais diversos personagens do mundo do Cruzado Encapuzado de forma inteligente e recheando a história com boas reviravoltas. No início do jogo vemos que o prefeito murou bairros inteiros em Gotham, e um desses é Arkham City, que acaba funcionando como umabatman1 super prisão e a única "lei" é que ninguém que está lá pode sair. Bruce não gosta nada disso e cria um partido Anti-Arkham e quando ele está dando uma coletiva do lado de fora do bairro, ele é feito de refém pela TYGER, grupo de mercenários a mando de Hugo Strange. Isso acontece porque o vilão sabe que Wayne é o Batman e diz que se ele tentar interferir em seus planos relacionados a um tal protocolo 10 ele revelará sua real identidade para todo o mundo. A partir dai Batman começa uma corrida contra o tempo para tentar descobrir o que seria esse tal plano de Strange.  Aqui, assim como no primeiro jogo, temos a interferência do Charada em diversos momentos, mas desta vez, ela cresce com o aumento considerável da dificuldade e número de charadas e troféus além de alguns novos tipos de desafios. Após o sucesso de público e critica de ambos os jogos, a Warner lançou há algumas semanas mais um jogo da franquia, Batman Arkham Origins, que, como o próprio nome dá a entender, se passa anos antes de Arkham Asylum e mostra o Cruzado Encapuzado mais jovem e inexperiente. Compre Batman Arkham City e Batman Arkham Asylum clicando nos titulos.

 

 

 

 

tiago

scott-pilgrim-vs-worldScott Pilgrim: Uma das minhas séries de quadrinhos favoritas dos últimos anos sem duvida é Scott Pilgrim. Lançada aqui no Brasil em 3 volumes, a saga conta a histroia de Scott cujo o estilo de vida é todo estranho (adolescentes) e ao se apaixonar por  Ramona Flowers descobre que para poder ficar com ela terá que enfrentar a liga de ex-namorados da menina, que não é pequena. Desse ponto em diante a trama se desenvolve de forma muito rápida, divertida e certas horas sem noção nenhuma, mas que torna a obra única e quase impossível de parar de ler. Recentemente a saga ganhou uma adaptação aos cinemas na mão do super competente Edgar Wright, e protagonizado por Michael Cera, o resultado foi ótimo também. O longa pega a essência e idéias contidas nas HQ’s e ganha também sua identidade, nos presenteando assim com uma saga em quadrinhos e um longa de qualidade. Vale lembrar que o final da HQ e o final do filme são diferentes, por isso o recomendado é ler os quadrinhos e assistir ao filme. O filme e os quadrinhos são encontrados aqui neste link. 

igor

Doctor Who (A série Clássica, temporada 06) Arco 02: “The Mind Robber”: Aproveitando os 50 anos da sériedvd-mindrobber mais querida do mundo, decidi indicar uma das melhores aventuras do segundo Doutor. O arco que começa de forma tensa, acaba terminando com uma das aventuras mais divertidas e insanas do Doutor. Ao ficarem presos em um lugar aparentemente inabitado, o doutor e seus companions, Jamie e Zoe, acabam por entrar numa trama onde suas mentes são manipuladas por um mestre das fábulas cujo plano é se apossar da criatividade do Doutor. O arco é composto por 5 episódios, e ao contrário de muitos arcos do segundo doutor que foram perdidos, pode ser encontrado completo. É uma aventura tensa, com pequenos momentos de terror, maluquice, diversão e muitas trapalhadas do doutor mais divertido de todos. Ah, e caso esteja se perguntando, não há uma necessidade obrigatória de seguir a série para assistir ao arco, então aproveite e veja logo!

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta