Minicast Mr. Robot S02E11

mr-robot-s01e11-cores

É o penúltimo episódio da temporada e Mr. Robot traz elementos oníricos para a narrativa e avança a trama em um de seus melhores episódios deste ano. Junte-se a Alexandre Luiz e Davi Garcia para comentar os estranhos caminhos que a série pode trilhar! Ouça, divulgue, comente!

Links do Podcast

Links Cine Alerta

Assine nosso feed:

Contato:

Mandem seus e-mails para [email protected], ou comente no post logo abaixo!

Redação

Comente pelo Facebook

Comentários

0 comments

  1. Avatar
    César 20 setembro, 2016 at 16:08 Responder

    Depois desse episódio, achei que não ia ver cast por aqui, pensei que vocês não iriam gostar do nível absurdo de abstração e por terem adiado respostas (Darlene) e criado mais um cliffhanger! Kkkkkkkkkkkkkk

    A aposta da vez é que a série vá pra prateleira de “Sci-fi” com o finale que tá vindo aí, mas eu realmente acredito que não. Da mesma forma que a primeira temporada de “True Detective” flertava com o sobrenatural, “Mr. Robot” insinua para a ficção científica.

    A cena com a Angela na sala escura (minha preferida do episódio) foi aquilo mesmo que foi: um teste. Whiterose não sabia quem era ela, mas sabia da sua importância pra Phillip Price, por isso providenciou logo aquele casal estranho pra fazer o rastreio dela (que aconteceu durante toda a temporada, como descobriu o Reddit). Por fim, resolveu sequestrá-la e testá-la, entender quem era ela, se era mais perigosa ou esperta do que ele. Mas Angela “passou no teste” porque se demonstrou totalmente passiva, aceitou as regras da realidade imposta na sala escura, se submeteu a uma bateria de questões bizarras, se mostrou assustada (aguardou quatro horas ali!) e deixou que uma tranca a impedisse de escapar. Além disso, aceitou o destino do peixe no aquário como mera fatalidade…

    Imagina o Elliot/Mr. Robot naquela situação? Não teriam respondido nada, o Elliot acho que tentaria salvar o peixe e com certeza não seria uma fechadura que iria o impedir (o esporte preferido dos hackers, como ele diz numa cena da primeira temporada).

    Sabendo que a Angela não lhe oferecia perigo nenhum, Whiterose entra em cena, já sabendo também que ela seria maleável o suficiente para acreditar na sua história e colaborar com ele. Quando Whiterose diz que o acidente na usina não aconteceu por acaso não é porque há uma conspiração maior ou experimento científico que for, é só que ele não acredita no acaso e a morte da mãe da Angela e todo desenrolar é o que a levou até a sala escura. Não se trata de ser a Angela e o Elliot os “escolhidos”.

    Finalmente, no encontro com a advogada, a Angela já não está mais com medo, pois entendeu o cenário por trás de tudo e resolveu acreditar naquela realidade. Ela não sofreu lavagem cerebral, mas sim descobriu o futuro que virá com o mundo desabando ao seu redor, por isso nem esboçou reação com a queda de energia.

    Os créditos vão pra esse post no Reddit aqui: https://www.reddit.com/r/MrRobot/comments/534a5g/

    É nisso que eu acredito, nada de realidades alternativas, viagens no tempo ou replicantes (a cena da sala escura lembra bem aqueles testes em Blade Runner).

    Agora resta saber as cenas do Elliot, que ficaram bem ambíguas mesmo.

    Outras observações:

    Achei foda como as perguntas bizarras na cena da Angela fazem um paralelo com as questões da Dom pra Alexa.

    Quando o Elliot tá seguindo o Mr. Robot ele passa em uma praça em que está tendo um feirão do troca (tinha até um cara vendendo bitcoin em voz alta), o que faz muito sentido já que o dinheiro em espécie está escasso. É por causa disso que eu acredito que ele não esteja mais sonhando, mas não dá pra saber mesmo…

    No disquete que a menina coloca no Commodore, a gente pode ver um “Maniac Mansion” salvo ali, grande point and click da LucasArts. E ainda tem o telefonema, que lembrou mesmo os jogos de adventure.

    É isso aí, meus dois centavos, ansioso pelo finale! Kkkkkkk

    • Avatar
      Alexandre Luiz 20 setembro, 2016 at 17:11 Responder

      Valeu pelo comentário, César! O nível de abstração foi uma das melhores coisas do episódio, porque equilibra com o desenvolvimento de personagens e tramas (coisa que não vinha acontecendo nos episódios focados justamente nisso rs), agora é que animou comentar. Essa visão mais realista que você colocou é a mais provável e segura de ser mantida pela série, mas confesso que as dicas pro flerte com sci-fi me deixaram curioso. É algo que gostaria de ver por ser realmente "fora da caixa", mas obviamente dependeria da execução…

      Enfim, vamos ver o que virá a seguir! Grande abraço!

  2. Avatar
    Márcio 21 setembro, 2016 at 15:11 Responder

    Só um detalhe sobre a teoria que foi comentada no cast, sobre viagem no tempo, que no piloto de Mr. Robot a Angela leva para assistir com o Elliot o "filme favorito dele" – como ela mesma diz na cena – que é De Volta Para o Futuro 2.

Deixe uma resposta