Especial | Wes Craven

Especial Wes CravenInventivo, criativo, extremo, Wes Craven teve seus melhores momentos enquanto operário do cinema quando fazia filmes que chocavam pela violência, que entretinham, assustavam, sem perder o senso crítico em especial as hipocrisias da sociedade moderna.

Nesse especial buscamos falar um pouco sobre o trabalho do diretor, além de organizar as obras e as análises que fizemos a respeito dos produtos que envolvem o cineasta.

Wes nasceu numa família conservadora e protestante, em um comunidade pequena e interiorana, onde ver filmes era um tabu, que dirá fazer produções de terror e horror.

Demorou a ingressar na carreira de cineasta, por volta dos 30 anos começou a dirigir propagandas, entre filmes no esforço conservador anti-drogas e produtos de origem religiosa. Nessa época tinha proximidade com Sean Cunningham, produtor que anos mais tarde ajudaria ele a ingressar no cinema de horror e que ajudaria a conceber Sexta-Feira 13, a saga da Jason Vorhees.

Craven também foi professor de literatura, e entre os seus estudos, conheceu a lenda sueca Ingmar Bergman, e seu filme A Morte da Donzela, que o inspirou a fazer seu primeiro longa, Aniversário Macabro

Nascido em Cleveland, Ohio, teve formação em inglês e psicologia pela Wheaton College em Illinois e tem mestrado em filosofia e redação da Universidade Johns Hopkins. Era um estudioso, claro, mas tinha em si um caráter de exploração de um cinema marginal que utiliza poucos e parcos recursos.

No longa The Last House on the Left, o carro do filme era de Cunningham, o cachorro era da namorada de Craven, alguns membros do elenco vinham do mercado pornográfico - como Sandra Peabody, Lucy Grantham e Fred J. Lincoln. Sua experiência como diretor de filmes de cunho sexual (onde usava pseudônimos, como Abe Snake, em Fireworks Womans, um filme de 1975 perdido) o ajudou a não ter tanto pudor ao lidar com questões pesadas.

Craven tinha pretensão de ser um diretor de filmes fora do gênero horror, mais Spielberg e menos Tobe Hooper. Isso explica produções como Paris te Amo ou Música do Coração, além de outros como A Maldição dos Mortos Vivos, que não é exatamente de terror, mas sua carreira seguiu normalmente dentro do gênero.

A seguir um pouco da filmografia do diretor.

Direção:

1972- Aniversário Macabro
1977 - Quadrilha de Sádicos
1978- Verão do Medo
1981- Benção Mortal 
1982- O Monstro do Pântano
1984- Quadrilha de Sádicos 2
1984- Convite Para o Inferno
1984- A Hora do Pesadelo
1985- Um Frio Corpo Sem Alma
1986- A Maldição de Samantha
1988- A Maldição dos Mortos-Vivos
1989- Shocker 1000 Volts de Terror
1990- Night Visions
1991- As Criaturas Atrás das Paredes
1994- O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddy Krueger
1995- Um Vampiro no Brooklyn
1996- Pânico 
1997- Pânico 2
1999- Música do Coração
2000- Pânico 3 
2005- Amaldiçoados
2005- Voo Noturno
2006- Paris, Te Amo
2010- A Sétima Alma
2011- Pânico 4

Roteiro:

1987 - A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos
2006- Pulse

Produção:
2006- Viagem Maldita (como produtor)

Remakes:

2006- Viagem Maldita
2010- A Hora do Pesadelo.

Relacionados

1985- A Hora do Pesadelo 2 - A Vingança de Freddy
1989- A Volta do Monstro do Pântano, continuação de Monstro do Pântano.
2003- Freddy x Jason
2022- Pânico, continuação do clássico e quinto filme da saga.

Avatar

Comente pelo Facebook

Comentários

Comente pelo Facebook

Comentários

Deixe uma resposta